FUP e sindicatos ocupam Fafen no Paraná contra desmonte da Petrobrás

Sexta, 17 Novembro 2017 08:41

A diretoria da FUP e de diversos sindicatos petroleiros, entre eles o Sindipetro-NF, ocuparam na manhã de hoje a sala de controle da Fábrica de Fertilizantes (Fafen) de Araucária, no Paraná, em protesto contra a venda deste ativo da Petrobrás. A ocupação começou um pouco antes das 6h e durou duas horas.

Os dirigentes sindicais mobilizaram os trabalhadores e dialogaram sobre as razões da ocupação. De acordo com o coordenador geral da FUP (Federação Única dos Petroleiros), José Maria Rangel, o protesto na Fafen é mais um sinal de que a Petrobrás não vai entregar os seus ativos sem enfrentar uma grande resistência da categoria petroleira.

"Esse é um momento em que nenhum de nós tem o direito de abaixar a cabeça. Porque é exatamente isso que os golpistas querem. Eles querem passar pra gente uma desilusão, de que não existe mais esperança para o País, e que portando temos que abaixar a cabeça e nos submeter a tudo o que eles querem", disse José Maria, aos trabalhadores, na sala de controle da Fafen.

De acordo com a FUP, a fábrica está sendo privatizada por meio de uma negociação de venda casada, que inclui também a Fábrica de Fertilizantes do Mato Grosso do Sul (UFN-III), uma planta que não entrou em operação, pois teve a obra paralisada em dezembro de 2014, com 80% do projeto concluído. 

"Devido aos impairments realizados pela atual gestão da Petrobrás, a unidade Paraná vale contabilmente zero reais (R$ 0,00). Através de uma Ação Civil Pública, a FUP está contestando na Justiça a entrega deste importante ativo, que tem capacidade de produzir anualmente cerca de 700 mil toneladas de ureia e 475 mil toneladas de amônia, além do valioso e estratégico Agente Redutor Líquido Automotivo (Arla 32)", informa a Federação.

Na fala à categoria na Fafen, José Maria também destacou o desmonte geral que está sendo empreendido na Petrobrás, mostrando o paralelo entre o desempenho da empresa até 2002 e após o primeiro governo do ex-presidente Lula — que recuperou um norte para a companhia, voltando a sua missão para o desenvolvimento nacional e a promoção da justiça social, reergueu a indústria naval, voltou a investir em pesquisa e descobriu o pré-sal.

"O jogo é muito pesado e nós estamos fazendo a boa resistência. Estar aqui significa que não vamos aceitar passivamente que o patrimônio público seja entregue", disse o coordenador.

O coordenador geral do Sindipetro-NF, Tezeu Bezerra, e o também diretor da entidade, Antônio Carlos Bahia, participaram do protesto na Fafen. Segundo Tezeu, o movimento sindical "vai brigar por cada uma" das Fafens, assim como por todos os ativos da Petrobrás, luta que também foi destacada por Bahia.

 

Avalie este item
(0 votos)

Sede MacaéMacaé

Rua Tenente Rui Lopes Ribeiro, 257 Centro - CEP 27910-330 Telefone: (22) 2765-9550

Sede CamposCampos

Av. 28 de Março, 485 Centro - CEP 28.020-740 Telefone: (22) 2737-4700