Os petroleiros e petroleiras do Norte Fluminense decretaram guerra contra os cortes de direitos e a privatização da Petrobras. De hoje, até o dia 2 de outubro estão realizando assembleias para avaliar indicativos do Sindipetro-NF, entre eles a rejeição da proposta apresentada pela Petrobras, Subsidiárias e Araucária Nitrogenados no dia 14 de setembro (veja abaixo). 

A diretoria do NF também orienta que as assembleias escolham representantes das bases para participação no Seminário de Qualificação de Greve do Sindipetro-NF, que será realizado nos dias 9 e 10 de outubro, e enviem informações sobre a situação das brigadas de emergência, do efetivo e da produção de óleo e gás em cada unidade através de formulários abaixo.

Também segue anexo o formulário de SMS que todos os trabalhadores devem preencher e enviar juntos com as atas das assembleias, onde são perguntadas questões básicas de segurança das unidades, que além de balizarem o debate no ACT, também entrarão nas denúncias aos orgões fiscalizadores. Todo o sigilo dos dados serão garantidos.

Por fim, pedimos que seja lido nas assembleias essa noticia para embasarem os debates.

Indicativos

1 - Rejeição da proposta apresentada pela Petrobras, Subsidiárias e Araucária Nitrogenados no dia 14 de setembro;

2 - Com redução de direitos não tem acordo;

3 - Aprovar estado de greve;

4 - Aprovação do fim das interinidades.

Orientação para as plataformas: enviar dois nomes para o Seminário de greve que será nos dias 09/10 e 10/10.

 

A categoria petroleira na região tem assembleias a partir desta quarta, 27, para avaliar indicativos do Sindipetro-NF para a Campanha Reivindicatória, entre eles a rejeição da proposta de Acordo Coletivo feita pela Petrobrás e aprovação do Estado de Greve.

As assembleias começam nesta quarta pelas plataformas e pela delegacia sindical de Campos dos Goytacazes, às 10h. Nas plataformas, o retorno das atas poderá ser feito até a segunda, 2 de outubro, às 12h. (Confira abaixo a íntegra do calendário e dos indicativos).

Associado aos indicativos da Campanha Reivindicatória, o Sindipetro-NF também orienta a categoria a enviar informações sobre a situação das brigadas de emergência, do efetivo e da produção de óleo e gás em cada unidade.

A entidade avalia que é muito importante que as assembleias tenham uma grande participação da categoria, para demonstrar para a Petrobrás e subsidiárias que não serão admitidos cortes de direitos e a privatização da companhia.

Há ainda a orientação para que as assembleias escolham representantes das bases para participação no Seminário de Qualificação de Greve do Sindipetro-NF, que será realizado nos dias 9 e 10 de outubro.

Todas as avaliações dos sindicalistas da FUP e sindicatos apontam para uma campanha muito dura, provavelmente com necessidade de uma greve forte, e é preciso estar preparado para a "guerra", como tem pontuado a Federação.

"O Sistema Petrobras e o ACT são nosso maior patrimônio, fruto de décadas de lutas históricas, conduzidas por várias gerações de petroleiros. Não permitiremos nem o desmonte da empresa, nem do acordo. Quem quer paz, tem que estar preparado para a guerra", disse a FUP em comunicado recente à categoria, após duas rodadas de negociações com a Petrobrás.

Confira abaixo o calendário de Assembleias e os indicativos

Plataformas: 27 de setembro a 01 de outubro, com retorno das atas até às 12h de 02 de outubro.

Delegacia de Campos / Quarta, 27 / 10h

Praia Campista / quinta, 28 / 13h

Parque de Tubos / Sexta, 29 / 13h

Edinc / Segunda, 02 / 13h

Cabiúnas
Grupo E / Quarta, 27 / 23h
Grupo C / Quinta, 28 / 15h
Adm e Grupo D / Sexta, 29 / 7h
Grupo A / Sexta, 29 / 23h
Grupo B / Segunda, 02 / 23h

Indicativos

1 - Rejeição da proposta apresentada pela Petrobras, Subsidiárias e Araucária Nitrogenados no dia 14 de setembro;

2 - Com redução de direitos não tem acordo;

3 - Aprovar estado de greve;

4 - Aprovação do fim das interinidades.

Orientação para as plataformas: enviar dois nomes para o Seminário de greve que será nos dias 09/10 e 10/10.

 

 

Estão abertas até o dia 30 de outubro as inscrições para a Conferência Expressões Culturais Negras e Formação da Identidade Brasileira que acontecerá nos dias 7 e 8 de novembro na UERJ. O objetivo é aprofundar, a partir de dados científicos, as expressões culturais negras e o papel que as mesmas ocupam na formação da identidade brasileira.

Segundo os organizadores, a Conferência pretende também trazer à memória, conjunturas sociais e políticas autoritárias enfrentadas pela população negra durante séculos, pelo direito de exercitarem suas expressões artísticas, religiosas e políticas. Pontuar através dos temas em debate o quanto fundamental foi a luta hegemônica de homens e de mulheres negras . Uma luta não fragmentada, iniciada nos primórdios da escravização pelo direito a um patrimônio, bem como aprofundar temas conjunturais relacionados a nova ordem econômica e política que nos impõem novas reflexões a respeito das nossas estratégias organizativas.

A Federação Única dos Petroleiros é apoiadora do evento.

Programação resumida

Dia 07 de Novembro.

9h30 - Conferência: Juventude, Mídia, Arte e Cultura A Potência da Periferia subvertendo a Exclusão: Social , Racial e Econômica.

11h30 - Conferência: Fragmentos da Memória para a Construção Identitária no conto “Encontro de acaso”, de Luandino Vieira, e no poema “Para todos os dias”, de Ana Cruz.

 14h - Na Fogueira do Dogmatismo Político Religioso: Cura Gay, atentados sistemáticos à população LGBT. A Guerra que visa extinguir às Religiões de Matrizes Africanas: Estratégias Políticas Nacional e Internacional de mobilização e o papel desempenhado pelas as Instituições de Direitos Humanos. *Mulheres Negras ,Mulheres,Juventude e População

LGBT:Pensando um Brasil com respeito as diferenças com Equidade de Gênero e de Raça

16h - Conferência: Lima Barreto e sua escrita em dois tempos - Início do Séc. XX e Releituras no Séc. XXI

Conferência: Machado de Assis e Lima Barreto, Críticos da Mídia.

17h30 - Dialogando com a Professora Diva Guimarães sobre: O Papel da Educação e do Educador na Construção de uma Cultura com Respeito as Diferenças com Equidade de Gênero e de Raça.

19h30 - Encerramento

Dia 8 de Novembro

9h - Conferência: Preconceito, Intolerância,Racismo em Educação.

11h - Diálogo com a Professora Diva Guimarães sobre: 14h - Conferência: A Pilhagem do Brasil na Esteira do Golpeachment

16h30 Conferência: Precarização dos Serviços Públicos: Desmonte da Saúde e da Educação e Cultura

18h - Conferência: Arte e Direitos Humanos.

20 horas - Encerramento.

Entrega dos Certificados

 

 

Investimento: R$ 200,00

Isenção: estudantes do ensino médio e fundamental.
Alunos e alunas de graduação: R$ 80,00.

O pagamento poderá ser feito no 
Banco Santander
Agência - 3462 - C/C 01087567-9
Depósito identificado

O comprovante de pagamento poderá ser enviado junto com a ficha de inscrição para o email  O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
Informações: 
Telefone 21- 97107-3793 (vivo), 2613-4416 com Ana Cruz

As mulheres da CUT e de outras Centrais Sindicais fizeram barulho para denunciar o fim da aposentadoria com a Reforma da Previdência, no viaduto Santa Ifigênia, em frente ao INSS, em São Paulo. 

O ato foi organizado pelo Forum Nacional das Mulheres Trabalhadoras das Centrais Sindicais (FNMT).

"A Reforma da Previdência vai acabar com a aposentadoria e vai prejudicar ainda mais a vida das mulheres, que tem dupla e tripla Jornada. As mulheres trabalham 5 horas a mais que os homens por semana e não podemos permitir que se aposentem com a mesma idade que eles", criticou a secretária de Mulheres Trabalhadoras da CUT, Juneia Martins Batista. 

Varal com a cara dos deputados e deputadas que votaram a favor da Reforma Trabalhista (Foto: Roberto Parizotti)Varal com a cara dos deputados e deputadas que votaram a favor da Reforma Trabalhista (Foto: Roberto Parizotti)A proposta da Reforma da Previdência do governo ilegítimo de Michel Temer propõe igualar a idade mínima entre homens e mulheres, acaba com a aposentadoria por idade e pra receber o valor integral do benefício será necessário trabalhar, ininterruptamente, por 49 anos. 

"O projeto de "contrarreforma" desconsidera a realidade vivida pelas mulheres, negras, professoras e as trabalhadoras rurais, que estão nas funções mais precárias, trabalham sobre chuva e sol, começam a trabalhar muito cedo e na primeira crise ou corte, somos nós que demitem primeiro", concluiu Junéia 

No local do ato, as mulheres da CUT denunciaram os parlamentares que votaram a favor da Reforma Trabalhista, que passa a valer no próximo dia 11 de novembro, com a cara de cada um deles num varal pregado na ponte. Além disso, as CUTistas colheram assinatura para o Projeto de Lei de Iniciativa Popular (PLIP) para anular  a Reforma Trabalhista. 

"A campanha "anulareforma" foi aprovada no Congresso Extraordinário da CUT e o objetivo é colher um milhão e trezentas assinaturas e levar até o Congresso Nacional em Brasília. É possível revogar e a gente está trabalhando pra isso", disse a secretária da Mulher Trabalhadora da CUT São Paulo, Marcia Viana. 

Participam do FNMT:

Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB)
Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB)
Central Única dos Trabalhadores (CUT)
Força Sindical
Nova Central Sindical dos Trabalhadores (NCST)
União Geral dos Trabalhadores (UGT)

FUP cobra da Perbras reajuste salarial com acordo único

 

Nesta terça-feira, 26, teve início as negociações do ACT - Acordo Coletivo de Trabalho 2017/18 com a empresa Perbras, na sede da Federação.

A empresa propôs reajuste zero e manutenção de todos os direitos, mas a FUP reafirmou sua reivindicação de nenhum direito a menos com manutenção do acordo atual e reajuste salarial e dos benefícios, com a participação de todos os sindicatos, inclusive do Sindipetro-NF.

Uma nova rodada de negociação está marcada para o dia 19 de outubro.

Nesta segunda, 25, diretores do NF assistiram uma situação inusitada no Heliporto do Farol: um trabalhador tentou embarcar para UMMA com o braço direito imobilizado, preso a uma tipoia.

Ao ser questionado o SMS da UO-RIO disse desconhecer o caso e no final da tarde disse que após monitor o dia inteiro não soube de nenhum trabalhador embarcando na UMS nessa condição.

Para o Sindipetro-NF, um trabalhador com braço imobilizado fica impedido de uma série de atividades a bordo, inclusive de salvamento em caso de algum acidente mais grave.

A diretoria do NF é contrária a esse embarque por colocar sua vida em risco e ainda acompanha o caso, para verificar se o trabalhador trabalhará em condições precárias como essa.

A FUP esteve reunida na quinta-feira, 21, com a empresa Exterran Serviços de Óleo e Gás Ltda. para negociar o Acordo Coletivo de Trabalho 2017/18.

A FUP reafirmou sua reivindicação de nenhum direito a menos, com a manutenção do ACT atual e reajuste dos salários e benefícios. Também foi cobrado da Exterran a implantação de Plano de Cargos e Salários previsto desde o acordo passado.

Também foi solicitado uma extratatificação dos cargos e salários atuais de todos os trabalhadores.

A empresa ficou de apresentar uma resposta para essas questões na próxima reunião que acontecerá no dia 5 de outubro.

Os movimentos sociais e sindicais estão se organizando no Norte Fluminense. Na tarde desta segunda, 25, aconteceu uma reunião entre o Movimento Unificado Sindical, Social e Estudantil do Norte Fluminense - MUSE e a  Frente Brasil Popular - FBP Norte Fluminense, em Campos, que tirou uma série de deliberações e atividades conjuntas. A primeira delas foi a participação hoje, 26 , às 9h em um um ato organizado pelos Bancários, que contou com a participação de diversos sindicatos como SindFaetec, Melatúrgico, Quimicos e Sindipetro-NF. Em seguida o grupo participou de uma outra atividade do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto - MTST.

O grupo decidiu intensificar o recolhimento de assinaturas para o Projeto de Lei de Iniciativa Popular para barrar a Contrarreforma Trabalhista,  construir um cronograma de ações de conscientização da população, melhorar a comunicação com a população e planejar o ato nacional do dia 11 de novembro, data em que a Contrarreforma Trabalhista passa a vigorar.

Sobre o ato pela Soberania Nacional que acontece no dia 3 de outubro no Rio de Janeiro os participantes decidiram incentivar a participação massiva. Para isso os sindicatos disponibilizarão ônibus para os interessados. Aqueles que não puderem ir ao Rio, o grupo estuda a possibilidade de realizar uma atividade local.

Segundo o diretor do NF Sergio Borges, que participou da reunião e das atividades de hoje, a próxima reunião está marcada para 5 de outubro.

A diretoria colegiada do Sindipetro-NF está reunida, hoje, na sede de Campos da entidade. Em pauta a Campanha Salarial, convocação de assembleias, próximos passos e outros assuntos de interesse da categoria petroleira. 

Por esse motivo, não há presença da direção nas bases do Norte Fluminense e aeroportos. Os contatos com os trabalhadores retomam ao normal amanhã.

Diretores do Sindipetro-NF e da FUP voltaram a se reunir nesta segunda, 25, com representantes da Halliburton para buscar subsídios para tentar solucionar o problema dos trabalhadores da WP. Na mesa. a empresa apresentou uma proposta de criação de um banco de dias com pagamento trimestral para o pessoal da WP. Por considerar que não contemplava os interesses dos trabalhadores a proposta foi rejeitada na hora.

Representantes da Halliburton ficaram de apresentar uma nova proposta dia 9 de outubro, quando também será discutido o Acordo Coletivo da categoria.

Segundo o coordenador do Departamento de Trabalhadores do Setor Petróleo Privado, Wilson Reis, o NF não aceitará que os trabalhadores da Halliburton saiam prejudicados nessas negociações. 

Nesta terça, 26, às 19h30, os diretores do Sindipetro-NF participam de uma transmissão ao vivo na página do sindicato no Facebook para discutir com a categoria sobre a Campanha Reivindicatória e a contraproposta apresentada pela Petrobrás e subsidiárias. O Face to Face também pode ser acompanhado pela Rádio NF (www.radionf.org.br). 

A contra proposta apresentada dia 14 pela Petrobrás apresenta cortes de direitos conquistados há anos pela luta da categoria petroleira. Durante o Conselho Deliberativo da FUP foi anunciado que não será aceita privatização da empresa e rebaixamento no Acordo Coletivo.

Entre os cortes pretendidos pela Petrobrás, estão o auxílio almoço, a Gratificação de Campo Terrestre, o Adicional do Estado do Amazonas, o Benefício Farmácia, o Programa Jovem Universitário, a promoção por antiguidade de Pleno para Sênior nos cargos de Nível Médio, além de redução nas remunerações da hora extra, da dobradinha, da troca de turno e da gratificação de férias.

Outro ataque grave da empresa é a proposta de retorno da vigência do Acordo Coletivo para um ano, após conquista dos trabalhadores que passou a vigência para dois anos.

Às vésperas da realização de grande ato pela Soberania Nacional, no Rio, no próximo dia 3 de outubro, aniversário da Petrobrás, o governo do golpista MiShell Temer se prepara para entregar mais áreas de petróleo e gás, com a realização nesta quarta, 27, da 14ª Rodada de Licitações para exploração do patrimônio que deveria ser somente do povo brasileiro.

A Petrobrás foi retirada do direito de operadora única, com garantia mínima de 30%, passou a uma condição de preferencial, com a mudança da Lei da Partilha em 2016, sob encomenda dos setores entreguistas do governo federal e do Congresso Nacional. Na prática, a decisão fica na mão da gestão neoliberal da companhia, que atua de modo voraz no desmonte da empresa.

Serão ofertados 287 blocos nas bacias marítimas de Sergipe-Alagoas, Espírito Santo, Campos, Santos e Pelotas e nas bacias terrestres do Parnaíba, Paraná, Potiguar, Recôncavo, Sergipe-Alagoas e Espírito Santo, totalizando uma área de 122.622,40 km².

Para o Sindipetro-NF, o leilão do próximo dia 27 se soma a uma trajetória de desmonte de um projeto nacional, baseado no uso dos recursos do petróleo para promover justiça social e distribuição de renda. A lógica que impera, na gestão MiShell e Parente é a financista, sem compromisso do o futuro do País.

Pagina 7 de 719

Sede MacaéMacaé

Rua Tenente Rui Lopes Ribeiro, 257 Centro - CEP 27910-330 Telefone: (22) 2765-9550

Sede CamposCampos

Av. 28 de Março, 485 Centro - CEP 28.020-740 Telefone: (22) 2737-4700