Nascente 1024

Carregar ...

 

Editorial

 O julgamento do operário

 Enganam-se aqueles que pensam o ex-presidente mais popular da história do país será julgado pela justiça brasileira nesse verão. Iludem-se, também, quem imagina que a audiência do dia 24 de janeiro decidirá o futuro do cidadão Luís Inácio da Silva. Quem vai à juízo, nesse segundo ano subsequente do Golpe de Estado que vivemos, é o Lula operário e trabalhador que, não satisfeito com a desigualdade e injustiça do seu país, ousou fazer uma política diferente: incluir a população mais pobre na pauta do dia.

Não há o menor amparo dentro da legislação brasileira que justifique o porquê de um caso tão diminuto (uma reforma num apartamento comum) ser tratado de forma tão célere e intensa, enquanto 51 milhões de reais em espécie - valor equivalente ao lucro líquido das Lojas Americanas no segundo trimestre de 2016 - cai nas pautas de esquecimento da grande mídia e dos tribunais de qualquer instância.

Contudo, há sim uma explicação conjuntural para o caso: Lula é o principal inimigo, do presente e do futuro, da agenda neoliberal e excludente que nossa elite golpista deseja implementar no país. O presidente Lula é inimigo do Golpe no tempo presente, pois é o único político do país que sobreviveu aos ataques fascistas da negação da política e consegue, assim, representar efetivamente a maioria do povo brasileiro. Hoje, o grande nome para barrar a perversidade de reformas como a previdenciária é Luis Inácio. Já o nome Lula foi e será eterno inimigo da burguesia nacional, pois esta nunca aceitará que um trabalhador ou trabalhadora ouse melhorar a vida de outro de sua classe. Essa elite vira lata e entreguista nunca mediu esforços para manter seus privilégios, dos latifúndios aos juros exorbitantes, e sabe que, tão certo quanto dois mais dois são quatro, se a classe trabalhadora sonhar em se ajudar, as regalias dos capitalistas estarão com os dias contados.

Assim, no dia 24 de janeiro próximo não é uma pessoa que será julgada, mas sim um ideal: se um operário pode mudar - para melhor - a vida de todo um país.

 

Espaço Aberto

Duas táticas da esquerda em 2018

Theófilo Rodrigues*

 A depender do que acontecerá em 24 de janeiro no julgamento do TRF-4, a esquerda brasileira tem desenvolvido ao menos duas táticas complementares para sua estratégia eleitoral em 2018.

De um lado, Lula vem construindo um amplo arco de alianças que vai do PT ao centro do espectro político e que é baseado em um reformismo fraco, se quisermos adotar a expressão de André Singer.

Do outro, Manuela D´Ávila, do PCdoB, representa uma aposta na juventude e nos movimentos sociais, com um reformismo forte que mantém pontos de encontro com o projeto de “democracia radical” de Ernesto Laclau e Chantal Mouffe.

A construção de Lula é por cima, a partir de nomes já consolidados no cenário político nacional.

Já Manuela mobiliza uma candidatura desde baixo. Sua prioridade tem sido o diálogo com setores da juventude e dos movimentos sociais. De forma espontânea e horizontal, sua candidatura serve de estímulo a tantos jovens desacreditados com a política a voltarem não apenas a se interessar, mas também a participar, até mesmo com candidaturas ao parlamento.

As duas táticas não são excludentes, mas sim complementares. No primeiro turno há espaço para as duas candidaturas apresentarem seus programas. Por vias distintas, as duas candidaturas podem se opor ao conservadorismo de Bolsonaro e ao neoliberalismo de Alckmin. No segundo turno, o encontro dessas duas táticas da esquerda para evitar a vitória da direita é uma certeza. Essa é a estratégia.

O que gera dúvidas é o que ocorrerá em 2019: uma reedição do que foi o velho governo Lula, entre 2003 e 2010, ou um governo de novo tipo baseado em um reformismo forte? Tudo dependerá da força que a candidatura de Manuela D´Ávila acumulará e da capacidade de seu movimento político influenciar os rumos do novo governo.

Isso, claro, se Lula puder ser candidato em 2018.

 

Capa

Julgamento do ano mobiliza o país

 

O dia 24 de janeiro será uma data determinante para as eleições de 2018 e o futuro do país. Nesse dia, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva será julgado em segunda instância no chamado processo do tríplex, da Operação Lava Jato. Esse foi o caso mais rápido a ser julgado na operação. Entre a sentença do Juiz Sérgio Moro e o início da tramitação no Tribunal Regional Federal da 4ª Região, foram apenas 42 dias.

A velocidade desse julgamento demonstra o impacto político que representa. Com a possibilidade de mais um capítulo do golpe, os movimentos sociais do Norte Fluminense, incluindo o Sindipetro-NF, estão se mobilizando para irem até Porto Alegre no próximo dia 24, participar da grande luta em defesa da democracia e de eleições limpas e justas com Lula tendo direito a concorrer.

"Estamos na terceira fase do golpe nesse país. A primeira foi a retirada da Dilma. A segunda, a retirada dos direitos conquistados dos trabalhadores. E agora querem tirar do povo brasileiro o direito de eleger novamente Lula presidente do Brasil. Esse julgamento antecipado pelo TRF é, de novo, uma excepcionalidade”, criticou a presidente do PT, Gleise Hoffman.

Para o NF é fundamental que todos os petroleiros e petroleiras entendam a gravidade da situação que o regime democrático do nosso País está passando e se disponha a participar desse momento.

Assim, junto aos movimentos sociais, sindicais e estudantis, convocamos todos os petroleiros e petroleiras que tenham disponibilidade para se somarem para esse momento.

Haverá transporte saindo da região Norte Fluminense e as inscrições podem ser feitas através do e-mail : O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. , até sexta, 19, com CPF e RG.

O movimento vem ganhando cada vez mais adeptos

Para o presidente nacional da CUT, Vagner Freitas, “O movimento está aumentando porque cresce a consciência de que Lula é inocente e que o processo contra ele tem o único objetivo de impedir a sua candidatura e aprofundar o ataque à democracia e aos direitos dos trabalhadores".

 

SLOG

NF consegue avanços para o pessoal de Logística

 

A diretoria do Sindipetro- NF esteve reunida hoje, 15, no Rio de Janeiro com a gerência do SLOG para tratar da denúncia sobre a redução de dois postos de trabalho em regime de turno do setor de almoxarifado e transferência desses trabalhadores para o regime administrativo.

A Petrobrás confirmou a decisão de redução dos postos que foram criados há dois anos, dentro de um projeto chamado Rearruma. Esse projeto tinha o objetivo de organização dos armazéns existentes no Parque de Tubos, em Macaé. Com o seu término, a decisão da empresa foi realocar os trabalhadores.

O NF questionou a falta de transparência que envolveu esse processo, ao não convocar o sindicato para discutir e não informar claramente aos trabalhadores que o projeto teria um prazo definido, e que ao seu término os trabalhadores sairiam do turno.

Também foi denunciado ao gerente Alex Murteira que os trabalhadores estavam sofrendo assédio e que o NF não aceitaria essa atitude. "Foram ameaçados de serem desimplantados, caso não trabalhassem direito" - comenta o Coordenador do NF, Tezeu Bezerra.

A empresa disse que quatro dos dez trabalhadores envolvidos já haviam aceitado a transferência para o Rio. Nesse caso, o NF reafirmou em mesa a necessidade do pagamento dos adicionais de transferência.

O NF solicitou por fim que os trabalhadores fossem mantidos na condição de implantados até que conseguissem um outro lugar para trabalhar. A empresa disse precisar deles no administrativo, mas que liberaria caso conseguissem um outro posto de trabalho.

No final da tarde, Bezerra foi comunicado pelo gerente que um dos postos de trabalho será mantido por 60 dias para que os trabalhadores fizessem essa tentativa de conseguir um novo local de trabalho, com permuta.

Participaram da reunião também os diretores do NF, Francisco José e Benes Junior e diretores do Sindipetro-RJ.

 

Saúde

Uma conversa sobre o Benzeno

O Sindipetro-NF promoverá em fevereiro Rodas de Conversa sobre Benzeno. A primeira está marcada para o dia 8, na sede de Campos. Outras duas serão agendadas em Macaé (data a ser confirmada) sempre às 18h.

Segundo o diretor Cláudio Nunes, a Roda tem como objetivo atender as solicitações dos trabalhadores e trabalhadoras de P-09 e PCH-1, além de fazer esclarecimentos aos dirigentes sindicais sobre o tema e sobre os debates da Comissão Estadual do Benzeno.

 

CA da Petrobrás

 NF indica voto em Danilo Silva

 Foi dada a largada para a eleição do representante dos trabalhadores ao Conselho de Administração da Petrobrás. A FUP e Sindipetro-NF, indicam para a categoria o voto em Danilo Silva da chapa 1001.

Danilo é petroleiro desde 2003 e Técnico de Manutenção Pleno na Replan. Já foi diretor do Sindipetro Unificado de São Paulo e também trabalhou na Petros, onde ajudou na criação do Plano PETROS 2.

A eleição de Danilo Silva para o Conselho de Administração da Petrobrás vem na contramão da atual "representante" dos trabalhadores que age de acordo com os interesses da alta cúpula da empresa. Betânia Coutinho foi uma completa decepção. Nunca defendeu os interesses da categoria petroleira e votou a favor do desinvestimento, da venda das 74 plataformas (inclusive 14 na Bacia de Campos), redução de pessoal e corte de direitos e conquistas dos petroleiros.

A categoria não pode deixar passar mais um mandato com um traidor (ou traidora) sentada na cadeira dos trabalhadores. Antes de votar, analise com atenção o currículo de cada candidato, qual sua história e seu compromisso com a categoria e vote consciente.

É preciso ficar atento para que a pessoa que ocupa essa vaga seja efetivamente a voz dos petroleiros.

 

PRA-1

GERÊNCIA SERÁ RESPONSABILIZADA

A gerência de PRA-1 foi denunciada pelo Sindipetro-NF ao Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) e ao Ministèrio Público do Trabalho (MPT) pela atitude antissindical de impedir um diretor do NF de conversar com a base e de incluir essa prática na Ata de Cipa da unidade.

Na segunda, 15, o NF enviou ofício ao MTE para que verifique a possibilidade de autuação da empresa. Já para o Ministério Público do Trabalho o NF solicitou a inclusão da PRA-1 no calendário da Operação Ouro Negro, uma vez que, a atitude do gerente levanta suspeitas sobre o compromisso da gestão com as questões de segurança.

As gerências de SMS e RH da UO-RIO também receberam ofícios exigindo que a Petrobrás apure os fatos ocorridos na unidade PRA-1, seus autores sejam responsabilizados e tomadas as providências para que não se repitam, dada a gravidade dos mesmos.

 O caso

Na terça, 9, o Sindipetro-NF denunciou a tentativa da gerência da PRA-1 de impedir de forma arbitrária o contato entre o Sindipetro-NF com os trabalhadores na plataforma. O Geplat da unidade chegou a escoltar o representante sindical até a base da GANGWAY da UMS-Carapebus, solicitando que o mesmo somente retornasse para a reunião no dia seguinte.

O diretor também foi impedido de falar sobre a influência das práticas anti-sindicais na segurança da unidade, para que a informação fosse incluída na ATA de CIPA. Uma atitude que descumpre a NR-5, no disposto 5.28.1 que diz que "não havendo consenso, e frustradas as tentativas de negociação direta ou com mediação, será instalado processo de votação, registrando-se a ocorrência na ata da reunião".

 

Parente entreguista!

 O entreguista Pedro Parente aprontou novamente para o povo brasileiro. Não bastasse a venda de ativos da Petrobrás, o presidente da Estatal acaba de vender duas plataformas brasileiras, a P-59 e a P-60, por U$S 38,5 milhões de dólares, para a Rowan Companies. Segundo o blog do Anselmo Góis, que publicou a denúncia no domingo, 14, uma plataforma dessa custa atualmente cerca de US$ 150 milhões.

A Petrobrás comprou essas unidades em 2012 por U$S 360 milhões do consórcio Paraguaçu, formado pela Queiroz Galvão, Odebrecht e UTC.

Sob o comando de Pedro Parente, a empresa só está caminhando na contramão da história. Enquanto no exterior as empresas aglutinam suas atividades do poço ao posto, no Brasil o assecla de Mishell Temer, fatia a Petrobras e entrega o patrimônio brasileiro ao mercado externo.

 

Normando

 A destruição do social

Semana passada, um burguês endinheirado, e um policial pretendente a burguês, disputaram um “pega” na Rod. dos Imigrantes. Montavam um Camaro e um Mercedes de luxo, e destruíram duas famílias, que viajavam em um Ecosport. Síntese do Brasil dos anos 90, revivido pelo Golpe de 2016.

Dentre a massa de antipetistas que apoiou o Golpe a todo custo – motoristas de Ecosport e outros, pedestres incluídos, que vibram com os “pegas” entre Camaros e Mercedes – suponho existir os de boas intenções, quais sejam os que acreditam sinceramente que abrir caminho para os Camaros e Mercedes é tudo o que podemos fazer de melhor, para todos.

Excluo os de más intenções, aqui definidos como os que apóiam Camaros e Mercedes não porque acreditam que seja o melhor para todos, mas porque querem ter para si um Camaro, ou um Mercedes, e tocar seus próprios “pegas”, sem se importar com o resto da humanidade.

Juntos, estes dois segmentos, os de boa e os de má fé, vestiram a camisa da “digna” CBF, e foram às ruas pela saída de Dilma. Deveriam agora ter atingido a plena felicidade, pois colocaram um fim aos governos do PT. Os governos que mais investiram em saúde e educação em toda a história do País, quer em números relativos, quer em números absolutos

Não só saúde e educação tiveram orçamentos congelados por 20 anos, como os paralisados valores previstos para 2018 foram ainda mais reduzidos, para liberar dinheiro público em prol de emendas de parlamentares, de modo a garantir a sustentação do Golpe.

A sociedade de Camaros e Mercedes é muito melhor! O dinheiro público serve para comprar novos Camaros e Mercedes, e não para prover saúde e educação, ora bolas! Quem possui Camaros e Mercedes não precisa de universidades e hospitais públicos. E seus fãs acreditam que isso é melhor.

É preciso dar parabéns aos 2 grupos de antipetistas, por sua coerência e radicalidade. Levaram às últimas consequências seu compromisso para com as propostas dos donos de Camaros e Mercedes.

Essa lógica só tem um probleminha. É que a sociedade de Camaros e Mercedes, como o acidente da Imigrantes demonstra, é de muito poucos. Só alguns iluminados podem dirigir a mais de 200 km/h. Não há espaço para Ecosports, ou outros carros “comuns”. Nem mesmo há espaço para o pedreiro ciclista, que ousou pedalar na rodovia do filho de Eike Batista.

Para o pedestre? Ah! Para este há, sim, um espaço nobre reservado.

É a única matéria prima essencial à sociedade de Camaros e Mercedes.

 

Curtas

 

Subcomissões

 Como ficou acordado no ACT 2017/2019, esta semana iniciam as reuniões dos Grupos de Trabalho para tratar do Benefício Farmácia e sobre os novos indicadores da metodologia para definição e pagamento da PLR no Sistema Petrobrás.

As reuniões vão acontecer na sede da Petrobrás no Rio de Janeiro, entre os dias 16 e 19 de janeiro.

 

13º salário

 Atendendo a solicitação da FUP, o sistema Petrobrás vai antecipar a metade do 13º salário. A parcela que seria paga somente no final do mês de fevereiro, estará no bolso dos petroleiros e petroleiras antes do carnaval, no dia 07/02.

Este era um anseio dos trabalhadores e trabalhadoras e reforça a sintonia entre a entidade sindical e a categoria.

 

Eletrobrás

 O governo golpista e ilegítimo Michel Temer (MDB-SP) sofreu mais uma derrota na Justiça. O presidente do Tribunal Regional Federal da 5ª Região (TRF5) em Pernambuco, desembargador

Manoel Oliveira Erhardt, negou o pedido de suspensão de liminar feito pela Advocacia Geral da União (AGU), para incluir a Eletrobras no Programa Nacional de Desestatização.

 

Previdência

 O site “Na Pressão” está com uma campanha ativa para que a população envie e-mails para os deputados federais pressionando para que eles votem contrários à Reforma da Previdência. O envio é super rápido e funciona com apenas um clique.

Você também tem acesso ao telefone ou redes sociais dos parlamentares. Acesse em http://bit.ly/2B5L0XR

Avalie este item
(0 votos)

Sede MacaéMacaé

Rua Tenente Rui Lopes Ribeiro, 257 Centro - CEP 27910-330 Telefone: (22) 2765-9550

Sede CamposCampos

Av. 28 de Março, 485 Centro - CEP 28.020-740 Telefone: (22) 2737-4700