Ato no Edisen reforça luta em defesa do ACT e contra a privatização da Petrobrás

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Da Imprensa da FUP – Seguindo o calendário de luta aprovado nas assembleias, a FUP, a FNP e seus sindicatos realizaram nesta sexta-feira, 12, mais um ato por direitos, contra a privatização da Petrobrás e em defesa do Acordo Coletivo de Trabalho. O ato foi em frente ao EDISEN, no Rio de Janeiro, centro administrativo e de comando da empresa, onde estão localizadas as diretorias e gerências executivas, além do Conselho de Administração.

O ato unificado contou com a participação de representações sindicais de várias bases da FUP, além de taxistas, motoristas entregadores de aplicativos e caminhoneiros, categorias das mais impactadas pela atual política de preços abusivos dos combustíveis, que vigora na Petrobrás desde 2016, quando a gestão da empresa implantou o Preço de Paridade de Importação (PPI), que tem causado prejuízos para toda a população brasileira.

O coordenador geral da FUP, Deyvid Bacelar, ressaltou a importância das mobilizações durante a campanha reivindicatória reforçarem para a sociedade brasileira que a luta dos petroleiros é também em defesa da soberania nacional e contra a privatização da Petrobrás. Veja o vídeo abaixo:

As mobilizações no Sistema Petrobrás, por um Acordo Coletivo de Trabalho digno e contra as privatizações, continuam na próxima semana, com atos na REPAR e na SIX, no Paraná, e na REFAP, no Rio Grande do Sul (veja calendário abaixo). Já foram realizados atos na RPBC, em Cubatão, e na REPLAN, em Paulínia, duas grandes refinarias da Petrobrás no estado de São Paulo, onde os trabalhadores vêm resistindo aos ataques da gestão da Petrobrás aos direitos da categoria.

[Fotos: Maria João e Paulo Neves/FUP]