Ato público em Campos marca inicio das atividades do Dia dos Trabalhador

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

O Sindipetro-NF participou na manhã desta sexta-feira (29) junto com demais sindicalistas da região, estudantes, militantes dos movimentos sociais de um ato público na cidade de Campos dos Goytacazes. Os manifestantes caminharam pelas ruas centrais da cidade protestando contra uma das piores conjunturas já enfrentadas pelos trabalhadores e trabalhadoras do país.

O ato abriu as atividades do 1º de maio, que este ano, trazem ações em defesa do povo, que convive com altas taxas de desemprego, inflação, ataques aos direitos sociais e trabalhistas, à democracia e à vida. Dando ênfase, a esse pensamento o coordenador geral do Sindipetro-NF, Tezeu Bezerra, falou sobre os desmandos do atual governo e lembrou que na gestão do Governo Lula, o povo tinha acesso a uma condição de vida digna.

“Essa cidade, que é uma das cidades mais importantes do Norte Fluminense, e que não diferente das outras cidades do país sofre com a fome, sofre com o desemprego, as pessoas não tem casa, não tem comida. Esse é o retrato desse desgoverno, que não pensa no povo que realmente precisa. Um exemplo, é que tivemos a venda do Campo de Albacora Leste, que vai causar ainda mais desemprego para nossa região, um campo importante que ajudou na garantia da soberania, da autosuficiencia do nosso país. Mas, hoje, esses safados, que estão no poder só pensar em dar dinheiro para meia dúzia de acionistas e não pensam no povo, que está pagando mais de R$150,0 em uma botijão de gás”, frisou Tezeu.

Durante a passeata, o diretor, Tadeu Porto, também faz uma provocação em relação às prioridades do presidente Bolsonaro, lembrando que ele tem sido capaz de enfrentar até o STF para dar a graça presidencial a um aliado enquanto “não tem coragem de peitar meia dúzia na Petrobrás para abaixar os preços dos combustíveis”.

As atividades do 1º de Maio na região também vão contar com atos culturais, no domingo, em Campos dos Goytacazes e em Macaé.

 

Conscientização e cultura

Duas outras atividades na região vão unir a mensagem política com atrações culturais para mobilizar a população. Também em Campos dos Goytacazes, uma concentração cultural, com debates e atrações musicais, vai acontecer no Parque Rosário. De acordo com o diretor do Sindipetro-NF, Luiz Carlos Mendonça, que organiza o evento, o objetivo é reunir os trabalhadores e trabalhadoras do bairro em um momento lúdico e de conscientização política.

A concentração cultural será integrada por apresentações de samba, mpb, hip hop e mostra de artesanato, além de Roda de Conversa com Professor Roberto Moraes com o tema “Momento de reflexão e de luta por uma sociedade mais justa e igualitária”, na rua Carlos Lacerda, 556, a partir das 9h. Em seguida, às 18h, haverá mostra de vídeos populares na lanchonete Jac Lanches (rua Carlos Lacerda, 226, esquina com Princesa Isabel).

Sons da resistência em Macaé

Em Macaé, a atividade recebeu o nome de Sons da Resistência e tem como objetivo ser o início de um projeto permanente. Será no próprio dia 1º, das 12h às 18h, na praça do bairro Visconde de Araújo. Haverá apresentações dos grupos Regional do Biguá e Mistura Rica.

A diretora do Sindipetro-NF, Bárbara Bezerra, explica que a proposta foi construída por uma frente de entidades sindicais de Macaé (SEEB-Macaé e Região, Sindservi, Sinpro, SintectRJ, Jornalistas do Estado RJ e Sindipetro-NF), com o propósito de promover ações culturais de forma itinerante em praças populares do município.

“Através da cultura podemos dialogar com as nossas categorias, que têm no dia 1º de Maio uma data marcante, simbólica. A gente traz a cultura muito num pensamento de que trabalhador não é aquela figura só de guerrear, de sofrer, de se esforçar. O trabalhador também precisa de cultura, de lazer, de prazer, e a arte é um direito também. E todo ato cultural é um ato político”, afirma a diretora.