Categoria em luto pela perda de Joacy Sales, o “Falcão da Bacia de Campos”

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

A categoria petroleira está em luto pela perda do companheiro Joacy Sales da Silva, 65 anos, vítima de infarto no início da noite de ontem, na Praia de Redinha Nova, na cidade de Extremoz (RN). Técnico de segurança aposentado da Petrobrás, o petroleiro atuou por muitos anos na Bacia de Campos, especialmente em plataformas como a P-15 e a P-25, e deixa muito consternados os seus colegas de trabalho. O sepultamento está previsto para esta sexta-feira, no Cemitério Morada da Paz, em Parnamirim, na grande Natal.

O também técnico de segurança da companhia, Claudio Ventura, 57 anos, conta em nome dos colegas que atuaram com Joacy na P-15 que o petroleiro era uma grande figura humana e excelente profissional. “Comecei a trabalhar com Joacy em P-15, em 2002, plataforma que era conhecida como princesinha do Atlântico. Ele veio de Mossoró [RN] para a Bacia de Campos. Um sujeito de conversa boa, franca, trabalhador, sempre com histórias bem humoradas. No lanche da noite ninguém queria sair do refeitório porque eram boas as conversas com ele, o que tornava os dias agradáveis. Além de ser um excelente técnico de segurança, um bom profissional, um grande conhecedor da área. Com certeza, nesse tempo que ele atuou na Bacia de Campos na Petrobrás ajudou a salvar muitas vidas, ajudou a fazer com que várias pessoas não sofressem acidentes”, relata.

Ventura lembra ainda que Joacy, de porte alto e sempre bem humorado, era carinhosamente apelidado pelos colegas como “Falcão da UOBC”, “porque era grandão, parecido com o cantor Falcão, um sorriso franco, uma pessoa calma, tranquila”.

Também vai ficar na memória o modo como ele “ensinou a muitas pessoas, a partir de 2002, quando a Petrobrás voltou a contratar profissionais, fazendo o papel de treinar, de acompanhar vários técnicos, vários operadores, novas pessoas nesse processo, ajudando muito a entenderem o que é segurança, a ter discernimento para atuar com calma, com tranquilidade, no combate a incêndio. Uma pessoa controlada, um bom líder de equipe”, conta Ventura.

O amigo também lembra a atuação consciente de Joacy, que “prezava pelo direito do trabalhador, um grande petroleiro, crítico, que defendia os nossos direitos também, sabia da importância que nós tínhamos, um grande brasileiro, vai fazer muita falta”.

Outro grande amigo de Joacy, que conviveu com ele tanto na empresa quanto em relações pessoais, é Arivaldo Pereira da Costa, 65 anos, também técnico de segurança aposentado. Ele está junto à família do companheiro neste momento difícil e compartilhou muitas experiências com o colega e compadre – Joacy é padrinho de uma neta sua, de 15 anos.

“Passamos juntos alguns carnavais na casa de praia da Redinha Nova, onde ele faleceu. Nosso último contato foi no último sábado, em Pirangi do Norte, quando tivemos uma conversa sobre a situação da Petrobrás e da Petros. Ele estava muito preocupado”, conta Arivaldo, que complementa para dar a dimensão da perda: “É difícil descrever. Era meu maior e melhor amigo.Vivemos muitas situações juntos. Da turma antiga aqui do Rio Grande do Norte ele era praticamente era o único que convivia muito. Ele sempre presente”.

O Sindipetro-NF manifesta as suas condolências aos familiares, amigos e colegas de trabalho de Joacy. A entidade registra a grande perda de um companheiro marcado por uma trajetória de defesa da vida e dos direitos da categoria petroleira.