Com apoio da gestão da Petrobrás, bolsonaristas ganham eleição nos dois conselhos da Petros

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Da Imprensa da FUP – Terminou ontem (segunda, 28) o processo eleitoral para as vagas dos trabalhadores nos Conselhos Deliberativo e Fiscal da Petros. Lamentavelmente, por conta da decisão equivocada da FNP e das entidades de aposentados, que recusaram-se a construir uma chapa unitária com a FUP, as candidaturas bolsonaristas, apoiadas pela gestão da Petrobrás, venceram a eleição nos dois conselhos. Com isso, a estatal tem agora a maioria dos assentos, o que prejudicará ainda mais os trabalhadores nos embates com a Petros.

No Conselho Deliberativo, a dupla eleita (chapa 51) obteve 10.055 votos, enquanto a chapa apoiada pela FUP (chapa 53) conquistou 8.810 votos e a que teve o apoio da FNP (chapa 52) obteve 7.601 votos.

No Conselho Fiscal, a chapa que ganhou a eleição (chapa 42) recebeu 11.608 votos, contra 9.232 votos da dupla apoiada pela FUP (chapa 43) e 8.700 votos da dupla que teve o apoio da FNP (chapa 41).

Ou seja, se tivessem somado forças, as entidades representantes dos participantes e assistidos teriam ganho a eleição nos dois conselhos da Petros, neste momento decisivo para a categoria, quando os trabalhadores enfrentam ataques a direitos históricos, inclusive no fundo de pensão.

Veja abaixo a distribuição de votos de cada uma destas chapas por estado:

FUP propôs chapa única

“Perdemos essa eleição dos conselhos da Petros porque a nossa oposição não quis fechar uma chapa única conosco. A FUP tentou construir a unidade, propondo a construção das chapas do Conselho Deliberativo, com o titular indicado pela FUP e o suplente pela FNP e, no Conselho Fiscal, o titular indicado pela FNP e o suplente pela FUP, mas os cinco sindicatos e as outras entidades não quiseram”, explica o coordenador da FUP, Deyvid Bacelar.

Ele lembra que a proposta foi apresentada primeiro à FNP, depois ao Fórum das Entidades da Categoria Petroleira, que se reúne semanalmente.

“Infelizmente, não aceitaram e preferiram o caminho da divisão. Perde a categoria e ganha a gestão bolsonarista”, lamenta Deyvid, chamando atenção para o fato de um dos eleitos para o Conselho Deliberativo ser um gerente da Petrobras que tentou criminalizar a gestão de Sérgio Gabrielli, fazendo o jogo dos procuradores da operação Lava Jato, mas foi desmentido em suas acusações. “Os resultados nefastos desta operação todos nós conhecemos e quem mais perdeu foram os trabalhadores brasileiros. Não tenho dúvidas de que este gerente bolsonarista e lavajatista continuará agindo contra os trabalhadores, fortalecido agora pelo assento que terá no Conselho Deliberativo da Petros”, afirma.

Além da divisão das entidades neste momento crucial para os participantes e assistidos da Petros, as candidaturas dos trabalhadores também enfrentaram uma disputa desleal com a gestão da Petrobrás, que, segundo denúncias dos trabalhadores, pode ter utilizado os sistemas de comunicação corporativos para fazer campanha para as duplas que venceram a eleição. “Eles devem ter se utilizado do big data do WorkPlace e, provavelmente, das listas de WhatsApp controladas pela Petrobrás e pela Petros”, avalia Deyvid.

Outro fator que permitiu a vitória das candidaturas bolsonaristas na Petros foi a baixa participação da categoria no processo eleitoral. Ao todo, 29.671 participantes e assistidos votaram nestas eleições, ou seja, menos de um quarto do total.

Nota de agradecimento

A chapa “Juntos pela Petros”, que teve o apoio da FUP, dos sindicatos filiados e do grupo Cabeças Brancas (CB) do Rio de Janeiro, divulgou nota, agradecendo os votos recebidos pelas duplas Rafael Crespo e Anselmo Braga, que concorreram ao Conselho Deliberativo, e Felipe Grubba e Luiz Mário, de disputaram a vaga do Conselho Fiscal. Juntos, eles receberam 18.042 votos.

Veja a nota abaixo.

“Obrigado pela confiança

Nossos candidatos da Chapa “Juntos pela Petros” agradecem os milhares de votos recebidos na eleição para os Conselhos Fiscal e Deliberativo da Petros.

Encerramos a campanha eleitoral orgulhosos do trabalho realizado, da campanha honesta e de todo carinho e apoio que tivemos ao longo desses quase três meses.

Mesmo não atuando nos conselhos, vamos continuar firmes na luta em defesa dos direitos dos participantes e assistidos da nossa fundação. E vamos cobrar esse mesmo propósito dos nossos novos representantes.

Desejamos boa sorte aos companheiros eleitos e parabenizamos a todos que participaram da votação.

Muito obrigado!”

Chapa “Juntos pela Petros”