Diretor do NF explica preços dos combustíveis a estudantes do ensino médio de Macaé

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

O diretor do Sindipetro-NF, José Maria Rangel, realizou palestra nesta amanhã para alunos e alunas do ensino médio do Colégio de Aplicação de Macaé (CAP), na Cidade Universitária. A convite do professor da disciplina de Sociologia, Paulo Henrique Dantas, o sindicalista falou aos estudantes do segundo ano, no encerramento do ano letivo, sobre o preço dos combustíveis e o papel da Petrobrás.

“Toda vez que o barril do petróleo subir lá fora, sobe aqui dentro, como se a gente ganhasse em dólar. A gente não ganha em dólar. E quem é que está ganhando dinheiro com isso? São os acionistas da Petrobrás. Quem está sendo prejudicada com isso? A população”, explicou José Maria, sobre a Política de Paridade Internacional (PPI) adotada pela companhia desde o governo Michel Temer.

O diretor do NF disse ainda que a empresa deveria voltar a desempenhar um papel estratégico e social: “Qual é o papel da Petrobrás num país como o nosso? Vocês já ouviram falar ´tem que privatizar a Petrobrás´. A Petrobrás já está privatizada. Apesar de ser uma empresa que tem o governo federal como maior acionista, o gerenciamento já é o de uma empresa privada, por isso que o botijão [de gás] custa R$ 150 e a gasolina R$ 8 [o litro]”.

José Maria lembrou ainda que “há algum tempo, o botijão custava R$ 44. A gasolina custava R$ 2,98. E também é mentira que a Petrobrás não dava lucro. Dava. Lucro de R$ 35 bilhões, R$ 40 bilhões. Mas como é que dava lucro? Investindo na produção, não na especulação.

O CAP Macaé funciona na Cidade Universitária desde 2020, quando completou dez anos, e reúne mais de 100 alunos e alunas. A escola promove a integração entre o ensino médio e a formação de nível superior.

[Fotos: Luciana Fonseca]