Doe caixas de leite vazias no NF e ajude a amenizar o frio da população em situação de rua

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Ideias muito simples podem ser revolucionárias. A um só tempo, reutilizar caixas de leite longa vida para produzir mantas térmicas preserva a natureza, conscientiza ambientalmente e socialmente e ajuda a amenizar o frio enfrentado pela população em situação de rua nas cidades brasileiras. Desde o inverno de 2021, o Sindipetro-NF disponibiliza as suas sedes, em Campos dos Goytacazes e em Macaé para arrecadar as caixas vazias e entregar a grupos que produzem e distribuem as peças.

A entidade aderiu à ideia quando foi procurada pelo movimento Ocupa Novo Horizonte, que desenvolvia uma série de ações de mobilização comunitária para garantir moradia. Militantes se encarregavam de retirar as doações de caixas, produzirem as mantas e distribuírem. Depois, a produção passou a ser feita pela Fraternidade Francisco de Assis (FFA), também em Campos, que estima ter produzido aproximadamente 150 mantas.

“O projeto dos cobertores começou no inverno de 2021, quando Rosemary Barcellos, voluntária da Fraternidade, assistiu a uma live de um grupo do Ceará que fazia esse aproveitamento de caixas de leite, e estes, na ocasião, estavam ensinando e estimulando outras instituições e pessoas a fazerem o mesmo. Ela gostou da ideia e a apresentou na Fraternidade. Ela formou um pequeno grupo de apoiadores e começamos o trabalho”, lembra Rosany Barcellos de Souza, que preside a Fraternidade Francisco de Assis e o Instituto Pietro Ubaldi, ao qual a primeira é vinculada.

Produção de mantas por voluntários da Fraternidade Francisco de Assis. Fotos: Instagram da Instituição

Voluntários se conectam

E como solidariedade puxa solidariedade, outros voluntários foram se somando. “Nesse caminho de parcerias fomos contactados por uma senhora que produzia cobertores a partir das caixas arrecadadas pelo Sindipetro, que nos convidou para com ela nos aliarmos para aumentar a produção. Em função disso, o Péricles da Gama Melila, voluntário da FFA que assume a parte da costura e montagem, entrou em contato e hoje já começam a ser produzidos cobertores resultantes dessa parceria”, explica Rosany.

A senhora a que a presidente da FFA se refere é a artesã Mônica Ribeiro Lima Pinheiro, da Mônica Pinheiro Ateliê, que também conversou com a Imprensa do NF e explica que, para ela, “a ideia surgiu depois de uma postagem no grupo da família pedindo caixas de leite para produção de mantas térmicas. Essas caixas seriam entregues no Sindipetro-NF, me interessei em procurar saber como essas mantas eram produzidas. Assisti um vídeo, vi que teria condições de fazer e não parei mais”.

Veja como produzir

Na internet, de fato, vários vídeos explicam como fazer a manta, que também é usada como esteira. Um deles é do canal Malu Maravilha Artes Manuais, que ensina de modo bastante didático todo o processo, que começa com a preparação das caixas (higienização e recorte) e segue com a costura do material e a finalização.

Distribuição e contatos

A distribuição das mantas também é feita pela Fraternidade Francisco de Assis e por outros grupos parceiros na solidariedade. “Temos como público alvo pessoas em situação de rua, e fazemos a entrega através de parcerias com grupos religiosos e ONGs que já trabalham semanalmente com essas pessoas”, explica Rosany.

Quem quiser se somar a esta iniciativa e conhecer mais pode fazer contato com a Fraternidade Francisco de Assis na sede da instituição (Av. José Alves de Azevedo 422, em frente ao hospital dos Plantadores de cana), pelo telefone (22) 27222266 ou pelo instagram @fraternidadeassisipu.

O Sindipetro-NF também continua disponível para receber as doações de caixas de leite vazias e lavadas, para que sejam encaminhadas aos movimentos solidários. As doações podem ser entregues tanto na sede de Campos dos Goytacazes (Av. 28 de Março, 485) quanto na sede de Macaé (Av. Tenente Rui Lopes Ribeiro, 257).