Editorial do Nascente: Parente indesejado

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp

O mercado gosta de falar em lideranças. O mercado gosta de falar em lideranças inspiradoras. O mercado gosta de falar em lideranças inspiradoras que representem os valores das empresas. Se fossem para valer estas leis do hipotético e tão propalado mercado, Pedro Parente não poderia ser presidente da Petrobrás.

Ele não é líder reconhecido da empresa — trata-se de um presidente biônico indicado por um governo sem legitimidade, como aqueles da Ditadura Civil-Militar —, não inspira em nada uma força de trabalho que não se identifica com os seus atos dilapidadores da companhia, e não representa o valor atribuído pela sociedade brasileira à Petrobrás — que sempre se orgulhou de vê-la forte, brasileira, promotora do desenvolvimento.

Além disso, Pedro Parente é suspeito de atuar na empresa em conflito de interesse com as atividades da sua esposa no setor privado, em consultoria de investimentos que têm relação direta com os passos dados pela Petrobrás, como denunciou a FUP à Procuradoria da República.

Por isso, sua visita à plataforma P-56 e à base de Imbetiba, em Macaé, nesta semana, foi classificada como indesejada pelo Sindipetro-NF. Além de ter registrado o seu repúdio à presença de um presidente entreguista na região, a entidade realizou um escracho no portão da base de Imbetiba, onde estendeu faixa com uma espécie de boas-vindas às avessas, falou tudo o que o golpista merecia ouvir e atrapalhou a festa dos gerentes dentro da base.

O protesto, assim como este registro em um boletim sindical, como este Nascente, tem o papel de fazer justiça a uma trajetória de construção de uma Petrobrás feita pelos trabalhadores e pelas trabalhadoras, e não por estes burocratas que vez por outra são incrustados nos altos escalões, mais a serviço das petroleiras privadas, ou de outros entes menos nítidos, do que a serviço dos interesses do povo brasileiro.

Esse parente não é nosso, esse parente é indesejado, esse parente não nos representa. Fora MiShell e Fora Parente. Queremos a nossa Petrobrás de volta.

 

[Nascente 1022]