FUP denuncia Petrobrás ao TSE por tentar impedir que trabalhadores participem das eleições de outubro

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Da Imprensa da FUP – A FUP denunciou nesta quarta-feira, 03, ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) a tentativa da diretoria da Petrobrás de cercear o direito constitucional dos trabalhadores de participação ativa nas eleições de outubro. Desde julho, a gestão da empresa tem se movimentado junto aos Tribunais Regionais Eleitorais (TREs) para impedir que os empregados de unidades operacionais exerçam a função de mesários, em um nítido ataque ao processo eleitoral e à liberdade dos trabalhadores de exercerem seus direitos de cidadãos.

Segundo notícia divulgada pela mídia, entre os argumentos alegados pela Petrobrás estão “impossibilidade de recomposição da equipe na jornada anterior e no domingo das eleições; além de importar em custos com o pagamento de horas extras em razão da necessidade de ampliar a jornada dos empregados não convocados durante o dia da eleição e no gozo das folgas legais”.

Ou seja, além de admitir que a companhia opera com efetivos reduzidos, expondo os trabalhadores a riscos de acidentes e a jornadas extenuantes, como a FUP e seus sindicatos há tempos denunciam, a gestão da Petrobrás ainda tem a cara de pau de não querer pagar a compensão pelos dias trabalhados na eleição.

Na denúncia feita ao TSE, a FUP alerta que os requerimentos feitos pela Petrobrás aos TREs, além de violar o direito dos trabalhadores de livre participação nas eleições de outubro, podem abrir “precedente perigoso que, se seguido por outras empresas, poderá inviabilizar inclusive o próprio processo eleitoral. Isso porque a Justiça Eleitoral não teria mesários suficientes para estarem à frente do processo eleitoral”.

Pela legislação eleitoral, os cidadãos são chamados a atuar nas mesas receptoras de votos, enquanto mesários convocados ou voluntários, o que fortalece a democracia brasileira. “Verifica-se, assim, que o requerimento da Petrobrás viola principios de natureza constitucional e inerentes ao Estado Democrático de Direito, tanto em relação aos mesários convocados, como aos voluntários, tais como: a democracia, a cidadania, o pluralismo político, a reserva legal, além do próprio exercício da soberania popular”, afirma a FUP no documento protocolado no TSE.

É importante lembrar que, nas últimas semanas, os trabalhadores do Sistema Petrobrás aprovaram nas assembleias manifesto em defesa da democracia e por eleições livres. A categoria, portanto, não aceitará intimidações, nem qualquer manobra da gestão bolsonarista para tentar impedir a participação plena dos trabalhadores na grande festa democrática de outubro.

A FUP e seus sindicatos darão total apoio e suporte jurídico aos trabalhadores que queiram ser mesários nas eleições de 2022. Também orientamos os sindicatos que enviem aos TREs requerimento, cobrando a garantia dos direitos eleitorais dos trabalhadores.

Requerimento feito pela FUP ao TSE:

ANEXO-1-DG013-2022-Garantias-eleitorais-dos-Petroleiros

Modelo de carta individual para os trabalhadores apresentarem ao TRE:

ANEXO 2 – Carta aos TRE’s TRABALHADOR

 

[Com informações da assessoria jurídica]