Gás e feijão, fuzil não: Ação solidária da FUP e Sindicatos distribui gás e feijão em comunidade do Rio de Janeiro

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Nesta quinta-feira, 02, a FUP, o Sindipetro NF e o Sindipetro Duque de Caxias promoveram uma nova ação do gás de cozinha a preço justo na Zona Oeste do Rio de Janeiro. Na ocasião, foram vendidos 350 botijões de gás a R$ 50,00 e  doados 350 quilos de feijão, em protesto à declaração do presidente Jair Bolsonaro, que recentemente chamou de “idiotas” quem defende comprar feijão em vez de fuzil.

 

Além do benefício aos compradores, a ação busca dialogar com a população sobre os prejuízos da política de reajustes dos combustíveis baseada no Preço de Paridade de Importação (PPI), adotada pela gestão da Petrobrás desde outubro de 2016. Essa política considera o preço do petróleo no mercado internacional, a cotação do dólar e os custos de importação. E impacta não apenas o valor dos derivados de petróleo, como gás de cozinha, óleo diesel e gasolina, mas também os preços dos alimentos, transportes e demais itens, num efeito cascata com forte impacto sobre a inflação.

 

“Essa é uma ação dos petroleiros solidários demonstrando que o gás de cozinha, que é um item da nossa cesta básica, pode e deve ser vendido com um preço muito menor que encontramos hoje. E a culpa é do Governo Federal que quer colocar para a classe trabalhadora pagar os reajustes que são dados no exterior. Mas nosso país é auto-suficiente na produção de petróleo e não poderíamos ter o gás, a gasolina, o diesel no preço que estamos pagando”, declarou o diretor do Sindipetro-NF, Zé Maria.