Halliburton nega negociação com trabalhadores e faz proposta irregular sobre banco de dias

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Após rejeição dos trabalhadores a proposta do acordo coletivo apresentada pela Halliburton, a FUP voltou a se reunir com a empresa, que se mostrou inflexível em atender os anseios da categoria, além de fazer uma proposta irregular com relação ao banco de dias.

 

Em sua proposta, a empresa afirma que não pagará a PLR de dezembro 2020. O reajuste salarial será de 6,25% para todos os empregados, aplicando aos salários vigentes em abril de 2021 com o pagamento após aprovação em 2021, desde que seja aprovado em assembleia pelos trabalhadores até o 30/11 deste ano (inflação acumulada de setembro de 2020 a abril de 2021 pelo IPCA);

 

Além disso, a empresa estabelece irregularmente banco de dias com a retenção de 15 dias das folgas suprimidas dos trabalhadores operacionais offshore(plataformas marítimas) e onshore(sonda terrestre). Apenas o que ultrapassar esse limite será quitado em 90 dias a partir de cada desembarque.

 

Para a FUP essa medida é grave e altamente ilegal, contra qualquer regramento similar de retenção. Na prática os trabalhadores não vão receber essas folgas(que podem corresponder a duas remunerações cheias dos operacionais) e em períodos de baixa demanda podem ficar, sem receber por essas folgas suprimidas. Todas as folgas suprimidas imediatamente não compensadas devem ser ressarcidas em dobro ou com adicional de 100% , conforme descrito na cláusula 8.1.1 , a empresa pretende legitimar uma prática altamente ilegal.

 

Na sua última contraproposta a empresa nega, ou seja, não atende os demais pleitos dos trabalhadores quanto: Adicional noturno para as escalas terrestres que ultrapassem às 22 horas em sondas terrestres; Licença para acompanhar os filhos em consultas médicas; Abster de praticar qualquer assédio moral; Custeio para labor em home office; Auxílio para custeio para habilitação de motorista para transporte periculoso e radioativo; Pagamento de todas as folgas suprimidas nos contracheques dos meses subsequentes e com o adicional já previsto no acordo coletivo de trabalho; Licença paternidade de 20 dias ; Auxílio educação reivindicada; Auxílio Academia reivindicado; A PLR de dezembro de 2020 foi rejeitada; Manutenção de data base em setembro;

 

A FUP e os sindicatos informam que não aceitarão essa grave irregularidade e ilegalidade de banco de dias por isso, a indicação é de rejeição a proposta.

 

A FUP irá se reunir, nos próximos dias, para deliberar em reunião a marcação e a tomada de medidas sobre essa grave irregularidade de banco de dia que prejudica em muito os trabalhadores operacionais da HALLIBURTON. As assembleias serão marcadas a partir da avaliação de eventuais ilegalidades para os encaminhamentos necessários, quanto ao que foi acima apresentado.

 

Confira a proposta na íntegra:

Nota de Negociação da Halliburton de 17 de novembro de 2021.