Hoje é Dia Nacional de Prevenção de Acidentes. Saúde Mental da categoria preocupa Sindipetro-NF

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Hoje, Dia Nacional de Prevenção de Acidentes de Trabalho (27 de julho), O Sindipetro-NF reafirma a atenção que dá ao tema e chama os petroleiros e petroleiras a se manterem alertas em relação às condições de habitabilidade e segurança em seus locais de atuação no setor petróleo. O sindicato tem como prioridade entre as suas diversas frentes de atuação a luta pela saúde e segurança no trabalho.

Em 2021, o Departamento de Saúde tem 266 acidentes registrados e com emissão de CAT’s – Comunicações de Acidente de Trabalho,  sendo 30 com trabalhadores da Petrobrás, 232 do Setor Privado e 04 do TECAB. Trinta e dois com afastamento e 234 sem afastamento. Em 2022, de janeiro até hoje já foram contabilizadas 180 CAT’s.

Saúde Mental

Outra grande preocupação nos tempos de pandemia é em relação à saúde mental dos trabalhadores. “Há uma grande preocupação com a saúde dos trabalhadores, em especial, com a saúde mental. Por essa razão, em uma ação conjunta o Sindipetro-RJ, Caxias e o Sindipetro-NF são parceiros da Fiocruz no desenvolvimento de Pesquisa para entender a saúde mental dos trabalhadores da indústria de petróleo e gás.

Sabemos o quanto o pandemia e o momento político têm elevado a opressão no ambiente de trabalho, contribuído com a precarização do trabalho e das relações de trabalho. Pensar em acidente de trabalho é pensar também sobre os impactos causados pelo ambiente de trabalho à saúde mental dos trabalhadores” – afirma Maria das Graças Alcântara, assistente social do NF que está participando da organização da pesquisa.

 

Dados nacionais

O número de acidentes de trabalho e mortes acidentárias aumentou 30%, ano passado, no país. Foram comunicados 571,8 mil acidentes e 2.487 óbitos associados ao mundo corporativo. Já nos últimos dez anos (2012-2021), foram registradas no Brasil 22.954 mortes no mercado de trabalho formal. Os números são do Observatório de Segurança e Saúde no Trabalho, mantido pelo Ministério Público do Trabalho (MPT) em cooperação com a Organização Internacional do Trabalho (OIT).