Itaú afronta movimento sindical e demite dirigente sindical em Campos

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Da Imprensa da Contraf-CUT – Em uma clara atitude de afronta ao movimento sindical, o Itaú demitiu o secretário de Finanças do Sindicato dos Bancários de Campos dos Goytacazes e Região (RJ), Felipe Alvim de Souza Cabral. Gerente de relacionamento Uniclass Empresas da agência 7442 (Guarus), o bancário estava em disponibilidade para o exercício do mandato reconhecida pelo banco, conforme assegura a legislação que trata da garantia constitucional de estabilidade do dirigente sindical, e foi surpreendido com a notícia da sua demissão na sexta-feira (19).

Felipe tem 16 anos de carreira no banco. Havia sido demitido em agosto de 2016, sem justa causa, mas no mês seguinte obteve o B91 (auxílio doença acidentário), cancelando a demissão e garantindo estabilidade até dezembro do ano seguinte. Antes de vencer o prazo, em março de 2017, integrou a chapa vitoriosa na eleição do Sindicato e passou a integrar a diretoria executiva, com mandato encerrado em julho deste ano e renovado, com a reeleição, até julho de 2025.

“Em nenhum momento o banco questionou ou impugnou sua candidatura ou eleição. A demissão ocorrida agora caracteriza, de forma inequívoca, perseguição ao movimento sindical e ao exercício da atividade sindical”, denunciou o presidente do sindicato, Rafanele Alves Pereira, informando que a Secretaria Jurídica tomará todas as medidas necessárias para que o Itaú respeite o direito à liberdade de organização dos trabalhadores.