Mais de 70% dos votos dos parlamentares do RJ foram contrários aos interesses dos trabalhadores, afirma Diap

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

A trabalhadora e o trabalhador do Rio de Janeiro precisa pensar com muito carinho na hora de votar para deputado federal e senador nas eleições do próximo dia 2 de outubro. No estado, 74,14% dos parlamentares votaram de forma contrária aos interesses dos trabalhadores em temas essenciais. Outros 23,08% foram favoráveis e 1,09% se abstiveram nestas votações. Os dados estão entre os disponibilizados pelo Diap (Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar) na plataforma “Quem foi quem“, que permite a qualquer interessado saber como votou cada deputado ou senador na atual legislatura.

Ainda no estado do Rio, os únicos deputados e deputadas que votaram 100% favoráveis aos trabalhadores nos temas selecionados pelo Diap foram Talíria Petrone (PSOL – RJ), Paulo Ramos (PDT – RJ), Marcelo Freixo (PSB – RJ), Jandira Feghali (PCDOB – RJ), Glauber Braga (PSOL – RJ), David Miranda (PDT – RJ), Chico D’Angelo (PDT – RJ), Benedita da Silva (PT – RJ) e Alessandro Molon (PSB – RJ).

“A plataforma, desenvolvida para aferir o desempenho parlamentar em temas que impactem os direitos dos trabalhadores e os serviços prestados à sociedade, faz parte de um projeto de acompanhamento e compartilhamento de informações de domínio público, como forma de estimular a participação política e o voto consciente”, apresenta o Diap.

O Departamento estabeleceu critérios para selecionar as votações que considerou mais impactantes para os trabalhadores, buscando o máximo de objetividade. “Como qualquer iniciativa que pretende fornecer dados e informações à sociedade, ela possui um recorte e esse recorte sempre possui algum grau de subjetividade. Para reduzir ao máximo esse viés, buscou-se a definição de critérios na escolha de votações de matérias que representem o pensamento majoritário dos segmentos afetados pelas políticas públicas, positiva ou negativamente”, explica o departamento.

Além de pesquisar cada parlamentar individualmente nas votações selecionadas, a plataforma permite ao eleitor conhecer como o politico votou em temas específicos e verificar o comportamento dos partidos, tanto nacionalmente quanto por recortes estaduais.