Muro da sede do Sindipetro-NF de Campos recebe grafite em homenagem as petroleiras

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

O muro da sede de Campos do Sindipetro-NF recebe um tom especial, nesta semana, através do trabalho do artista Anderson Santos, mais conhecido como Ide. Ele grafitou personagens ilustrativas realistas, que homenageiam as mulheres que trabalham no setor do petróleo.

 

Com a obra, além de valorizar a cultura e os artistas da cidade, o sindicato presta homenagem à atuação das mulheres petroleiras da Bacia de Campos e demais bases do país.

 

“Através do convite do diretor Léo Ferreira, eu vim fazer esse painel aqui no Sindipetro-NF. A ideia surgiu junto com a comunicação do sindicato, a construção dele trata da relação das mulheres dentro do mundo do petróleo. E foi bem bacana poder retratar essa participação das mulheres ocupando espaços, que antes era ocupados somente por homens. Temos na imagem uma mulher negra que atua no setor administrativo e uma mulher branca com o macacão laranja, usado nas plataformas” contou Ide.

 

Antes de ir para o grafite, o artista faz um esboço digital com a ideia inicial. Somente após aprovação, o desenho passa a ser construído com as latas de tinta, que dão o tom a cada detalhe.

 

Para a diretora do Sindipetro-NF, Bárbara Bezerra, a arte deixa o recado de que as mulheres podem sim estar presentes, onde elas quiserem e que apesar das dificuldades, as mulheres lutam para ter seu espaço reconhecido.

 

” As mulheres enfrentam dificuldades para participar da indústria de petróleo e gás. Além de muitas questões culturais, tem as dificuldades de formação e educação na área técnica. Os cursos são majoritariamente masculinos, intimidando a escolha das meninas. As que conseguem ‘furar a bolha” tem dificuldade em se manter por existir um controle na quantidade de vagas femininas. Precisamos possibilitar o acesso a educação e formação, permitir o acesso das mulheres na indústria de petróleo e gás e depois nivelar com equidade pelas competências, e não pelo gênero. Para isso precisamos de representatividade e sororidade. Ter um belo grafite com mulheres trabalhando na indústria de petróleo e gás é mostrar que ELAS PODEM SIM!”, frisou a diretora.

 

O artista plástico Andinho Ide (@andinho_ide) trabalha com o grafite desde 1998 e tem sua arte espalhada por diversos pontos da região, sendo referência na técnica.