Nascente 1224

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Editorial

Pioramos no ranking da corrupção

O atual governo que foi eleito com a bandeira de combate à corrupção acaba de ter seu discurso caindo por terra. Uma pesquisa divulgada na terça-feira pela Transparência Internacional mostra que o Brasil piorou e caiu duas posições no ranking mundial de percepção de corrupção, calculado pela instituição. Agora ocupa o 96º lugar, sendo a terceira pior posição em sua série histórica.
E de onde vem esse índice? O índice de percepção de corrupção é feito a partir da análise de dados, pesquisas e avaliações de especialistas e elaborado desde 1995. Dessa vez, o Brasil alcançou 38 pontos numa escala de zero a 100 e teve um desempenho abaixo da média global que é de 43 pontos.
Segundo a Transparência Internacional, esse aumento se dá por conta de um crescimento nas violações de direitos humanos e o enfraquecimento da democracia no país, entre eles, podemos citar os ataques do Presidente Bolsonaro às instituições democráticas, à imprensa, a interferência em investigações da Polícia Federal e da Procuradoria Geral da República e o orçamento secreto.
Por mais que a mídia tenha tentado dizer colocar a mancha de corrupção nos governos do PT, foi durante eles que o Brasil conquistou a melhor pontuação. Nos anos de 2012 e 2014, com 43 pontos, o Brasil ocupou o 69º lugar no ranking. Em 2019, primeiro ano do governo de Bolsonaro, o Brasil caiu para a posição 106 do ranking, sua pior alcançada nota em todos os tempos quando as denúncias de rachadinha também começaram a pipocar. Dados como esses são importantes porque esse ano pra ninguém dizer que foi enganado por esse falso discurso anticorrupcao de Bolsonaro.

Espaço aberto

Explosão de Covid-19 na Petrobrás

Rosangela Buzanelli*

A explosão de casos da nova variante do coronavírus a partir da segunda quinzena de janeiro, embora estivesse nas previsões de cientistas renomados no Brasil, de fato surpreendeu a todos e causou um caos generalizado. O relaxamento dos protocolos pela maior parte das autoridades no país e as festas de fim de ano contribuíram para o surto de contaminações.
Tenho acompanhado com muita preocupação e apreensão essa explosão dos casos em nosso país e na nossa empresa, que inevitavelmente refle o quadro nacional.
Em reunião do CSMS no último dia 18, levei e registrei minha preocupação com a situação nas instalações da companhia como um todo, bases administrativas, operacionais e, principalmente, no ambiente offshore, onde o confinamento e a dificuldade logística agravam muito o problema.
Destaquei a urgência da abertura de canais de diálogo entre a empresa e as representações dos trabalhadores na busca conjunta de soluções que reduzam o sofrimento e exposição dos trabalhadores. Esse canal foi aberto e acredito que somente trabalhando juntos conseguiremos minimizar os impactos da pandemia para os petroleiros, a empresa e, consequente, para o Brasil.
Trabalharei incansavelmente na construção e consolidação desse diálogo.

*Geóloga e representante dos trabalhadores no Conselho de Administração da Petrobrás. Texto editado e publicado originalmente em www.rosangelabuzanelli.com.br/

A semana

Dia do Aposentado
Dia 24 de janeiro foi comemorado o Dia do Aposentado. Esse ano, devido à pandemia e da variante ômicron da Covid-19, o Sindipetro-NF marcou a data com postagens comemorativas nas redes sociais e um texto em seu site onde relembra a forte atuação dos aposentados e aposentadas nas lutas da categoria petroleira.
Vale lembrar que ao se aposentar o trabalhador filiado ao sindicato precisa fazer uma renovação da filiação para continuar fazendo parte da entidade.

14 dias
A CUT divulgou informações reforçando a importância e o direito dos trabalhadores de cumprirem o afastamento de 14 dias por infecção ou suspeita de Covid.
A Central está orientando seus sindicatos a cobrarem das empresas as garantias das condições de segurança e direitos dos trabalhadores que adoecerem.

Piso Estadual
Pelo segundo ano consecutivo, o estado do Rio de Janeiro não deve atualizar o piso salarial regional. Para definir um reajuste o governo deveria ter apresentado uma proposta para a Assembleia Legislativa (Alerj) até o dia 30 de dezembro do ano anterior, o que não foi feito pelo governador. O piso é composto por seis faixas salariais e o valor inicial é de R$1.283,73. Deveria ter um acréscimo de no mínimo R$ 200 para compensar a perda inflacionária.

Tragédia da Vale
No dia 25 de janeiro de 2019, a barragem Córrego do Feijão da Vale S.A rompia em Brumadinho (MG). O mar de lama matou 272 pessoas e soterrou com 13 milhões de metros cúbicos de lama várias casas, animais e vegetação. Até hoje, seis pessoas ainda estão desaparecidas. Apesar de algumas conquistas, fruto de mobilização popular, a sensação de injustiça pelas consequências irreparáveis do rompimento segue os moradores.

Capa

NF atua com órgãos de fiscalização para reduzir casos de COVID

A diretoria do Sindipetro-NF esteve reunida com o Ministério Público do Trabalho (MPT) e a Superintendência Regional do Trabalho (SRTE) para denunciar a situação dos trabalhadores embarcados diagnosticados com Covid-19, que não conseguem desembarcar para tratamento adequado. Petrobrás diz ter mais de 1500 trabalhadores próprios contaminados. NF estima um número três vezes maior de terceirizados com Covid

Em uma reunião realizada na segunda entre representantes do Sindipetro-NF, Petrobras, Ministério Público do Trabalho (MPT) de Cabo Frio e Ministério do Trabalho do Rio de Janeiro, a direção da Petrobras informou que o número de trabalhadores próprio contaminados com Covid havia subido em três dias para mais de 1500 pessoas.
Esse novo balanço sobre a contaminação pelo COVID-19 nas unidades da empresa e mostrou uma situação grave que o Sindipetro-NF vinha divulgando através de denúncias da categoria petroleira. Torna-se ainda mais grave quando não há dados sobre os trabalhadores terceirizados que atuam na empresa. O Sindipetro-NF estima que haja o triplo de trabalhadores terceirizados contaminados. A Petrobras não apresenta números exatos, apenas estimativas, ela informa que são “quase 1,5 mil”.
Essa falta de transparência e apagão de dados segue a linha do governo Federal de esconder os dados e não tratar com seriedade a pandemia na empresa.
O Sindipetro-NF reforça a importância dos trabalhadores colaborarem com informações, que possam ajudar a manter a luta da entidade em prol da defesa da vida dos trabalhadores. AS denúncias devem ser encaminhadas para o e-mail [email protected]

Orientação aos cipistas

A diretoria do NF orienta que os cipistas realizem reuniões de Cipa Extraordinárias nas plataformas que apresentem surto de Covid a bordo. Também cobrem medidas, que permitam o acesso a dados reais sobre a situação nas plataformas. A cobrança da Cipa está sustentada legalmente por uma série de normas de segurança e de legislação sobre o papel da comissão, como Lei no 8.213/91 e as NR-5 e NR-37.
“Pedimos aos cipistas, que convoquem reuniões extraordinárias para que seja registrado em ata, quantos casos foram registrados nas plataformas, quantos foram confirmados, qual a situação geral da unidade. Porque a Petrobrás tem demonstrado que a prioridade é com o lucro, com os acionistas, enquanto a vida dos trabalhadores fica para segundo plano”, declarou o coordenador geral do Sindipetro-NF, Tezeu Bezerra.
O Sindipetro-NF ressalta ainda que todas as Cipas devem cobrar das gerências a elaboração e a apresentação de um boletim diário com as informações estatísticas sobre os dados de contaminação entre os trabalhadores próprios da Petrobrás e contratados de empresas terceirizadas.
Outro dados que a Cipa pode cobrar são as apresentação das autuações, ordens, instruções, recomendações ou notificações referentes à saúde, feitas por auditoria e demais orgãos reguladores (como Anvisa, ANP, MPT e Marinha) referentes ao local de trabalho.

Próximos passos

O Sindipetro-NF seguirá fazendo denúncias sobre a situação pandêmica nas plataformas através da imprensa e vai encaminhar nos próximos dias um ofício à Petrobrás solicitando o desembarque dos trabalhadores e a parada das unidades em surto de Covid-19.

 

Eleição CA da Petrobras

Não deixe para a última hora para eleger Rosângela

Como denunciado pela FUP em seu site, gestores estão tentando dificultar a votação, principalmente para os trabalhadores de turno, ao bloquear o acesso ao CAEL pela internet, impedindo a participação dos empregados que estão de folga
Termina no dia 30, o primeiro turno da eleição para a representação dos trabalhadores no Conselho de Administração da Petrobras. A atual conselheira eleita, Rosangela Buzanelli (1000), disputa a reeleição com o apoio da FUP, Sindipetro-NF, da Aepet (Associação dos Engenheiros da Petrobras) e outras entidades.
O Coordenador do Sindipetro-NF, Tezeu Bezerrra reforça a importância da categoria participar desta eleição. “Temos que reeleger Rosangela para o CA da empresa que é principal fórum de decisão. Não se deixem intimidar pelas manobras que a gestão da empresa está fazendo na tentativa de dificultar a votação através do CAEL” – disse.
Para votar, é preciso acessar o link interno de votação, pelo computador ou celular. Lembrando que é necessário possuir o Microsof Authenticator ou acesso remoto. Em caso de dificuldade, o usuário pode entrar em contato pelo telefone 0800 881 0881.
Após acessar a plataforma, digite 1000 e confirma.


Transpetro

Empresa tem mais de 200 casos de Covid

A Transpetro, subsidiária da Petrobrás, tem atualmente confirmados 257 casos de Covid-19, resultado da expansão da variante Ômicron neste mês de janeiro. As maiores incidências da doença ocorrem nas unidades dos Estados do Rio de Janeiro, São Paulo, Bahia, Pernambuco, Amazonas e Espírito Santo. Porém, os números desagregados não foram informados. A Transpetro conta com cerca de 6 mil empregados próprios e 4 mil terceirizados em todo o país.
O “Balanço Covid-19” foi apresentado pela equipe de Estrutura Organizacional de Resposta (EOR) da Transpetro em reunião nesta segunda-feira, 24, com representantes da Federação Única dos Petroleiros (FUP) e sindicatos filiados. O encontro com a Transpetro, realizado a pedido da FUP, ocorreu após um jejum de três meses.
Os dados de Covid 19 na Transpetro se somam aos da Petrobrás, que a cada dia atualiza para cima os números de contaminados pela doença. A informação foi apresentada pela estatal em reunião, também nesta segunda-feira, 24, entre representantes do Sindipetro do Norte Fluminense, Petrobrás e Ministério Público do Trabalho de Cabo Frio e Ministério do Trabalho do Rio de Janeiro.
A FUP e o Sindipetro-NF calculam que cerca de 3 mil trabalhadores terceirizados possam estar com a doença, só que esses dados não tem como ser confirmados.

Direito

Emissão da CAT garante direitos

A diretoria do Sindipetro-NF reforça a importância da emissão Comunicação de Acidente de Trabalho (CAT) pelas empresas de petróleo para trabalhadores diagnosticados com a doença contraída em ambiente de trabalho.
Caso a empresa se negue a fazer o documento, procure o Sindipetro-NF.

Saideira

Dica de leitura

Observatório de Covid -19 da Fiocruz lança livro

O ano de 2022 teve início com uma forte disseminação da variante Ômicron no Brasil. Diante dos fatos, as análises do Observatório Covid-19 Fiocruz continuam se mostrando fundamentais para apontar orientações em relação ao aumento nos índices de internação e de ocupação de leitos de UTI. Nesse contexto, o Observatório Covid-19 e a Editora Fiocruz lançaram ontem, (26), o e-book Covid-19: desafios para a organização e repercussões nos sistemas e serviços de saúde. O livro digital reúne um compilado de análises, experiências e reflexões para tempos tão desafiadores.
Organizado por Margareth Crisóstomo Portela, Lenice Gnocchi da Costa Reis e Sheyla Maria Lemos Lima, pesquisadoras da Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (Ensp/Fiocruz), o volume é o quarto da série Informação para Ação na Covid-19, uma parceria entre o Observatório e a Editora Fiocruz. O livro segue a ideia central da iniciativa encabeçada pelo Observatório: reunir o conjunto de respostas, pesquisas e ações técnicas produzidas pela Fiocruz durante a pandemia, mapeando a evolução do vírus no país e as ações de enfrentamento.
O e-book estará disponível para download gratuito na plataforma SciELO Livros (https://books.scielo.org/fiocruz)

Observatório Covid-19
O Observatório foi constituído logo nos primeiros meses da pandemia no Brasil, com o objetivo de reunir informações sobre os diversos aspectos epidemiológicos, demográficos, sociais e políticos da pandemia e sua expressão em grupos sociais de maior vulnerabilidade. Tem caráter multidisciplinar, visto que a pandemia deve ser entendida como um fenômeno influenciado por diversos fatores geográficos, históricos, culturais e econômicos e afeta todas essas dimensões.

Foto-Legenda

ORGANIZAÇÃO SINDICAL – O diretor do Sindipetro-NF, José Maria Rangel, participou essa semana da primeira reunião do Fórum Sindical em Campos, criado com o objetivo de organizar conjuntamente os atos chamados em nível nacional em defesa da democracia e da classe trabalhadora.

Normando

Guerra às crianças

Morreu Gael, de 15 meses, após uma semana de internação com Covid-19.
O bebê morava na Vila Kennedy, onde Bolsonaro teve 70,9% dos votos.

Negacionismo assassino

Hoje o Mito teria apenas 25%, minoria que lota as UTIs de gado não vacinado. Somado às crianças, são a enorme maioria dos ocupantes de leitos destinados ao tratamento da Covid-19.
Por conta da lotação, Gael não conseguiu transferência para unidade especializada, apesar de liminar obtida pela família.“Outros Gaeis tiveram o Mais Médicos, o qual atendeu 63 milhões de pessoas, via 18 mil médicos em mais de 4 mil municípios.

Menos médicos

Para 25% dos locais cobertos, o programa era a única atenção médica primária, agora inexistente porque Bolsonaro insuflou o ódio de imbecis contra os voluntários cubanos e o Mais Médicos.
O resultado são anjinhos: a morte de Gaeis por causas evitáveis aumentou 58% sem o Mais Médicos.
Sob a tragédia esconde-se o lucrativo negócio da saúde privada, real interesse dos ataques do fascismo ao Mais Médicos, ao SUS e às vacinas.

Luís Gastão

Três dos 13 bilionários cariocas fizeram fortuna na pandemia, favorecidos pela entrega da Agência Nacional de Saúde aos empresários. E a ajuda não cessa aí.
Cada boicote de Bolsonaro à vacinação de Gaeis infla a demanda dos que podem pagar, o que por sua vez alegra aos investidores das mais de 20 empresas de saúde com ações na bolsa brasileira.
Acionista típico, Luís Gastão riu ao ler nos jornais que o Brasil voltou a ser o paraíso dos rentistas. Já Madame Françoise, a esposa, acha essa conversa “cringe”.
Madame Françoise
Mme. lia prazerosamente no relatório anual de tendências do Pinterest, o retorno das pérolas, e as modas das lavanderias de luxo e do mercado pet, enquanto fazia as unhas no caríssimo salão do amigo Thierry.
O devaneio de Françoise foi interrompido pela manicure Maria das Dores que, com o cuidado de quem fala à comandante de uma tropa de ocupação, mencionou o caso do menino Gael.
Contrariada, Mme. ficou sem ter o que dizer, até lembrar do bom exemplo de Bolsonaro.

Mito

– Lamento, profundamente, tá? Mas é insignificante. E se ele tinha comorbidades?
Françoise calou, orgulhosa de saber reproduzir as sábias palavras de seu ídolo, e da refinada educação religiosa que a impediu de responder como achava que devia. Limitou-se a pensar:
Também, né? Mais um que ia crescer pra traficar, estuprar e matar!”

Brilho

Segundos depois, ainda em silêncio, a cabecinha de Mme. foi tomada pela consciência de classe:
Isso é assunto da ralé! Vou exigir que Thierry demita essa vagabunda!”
Por falar nisso, será que Thierry pegou ‘os’ cem gramas de pó que encomendei pra festa?”
Aos pés de Françoise, Maria das Dores reprimia a tentação de tirar de propósito um bife daquela vaca. Ela tinha um Gael em casa, para sustentar

 

Nascente1224 final