Nascente 1257

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

[VERSÃO EM PDF NA ÍNTEGRA NO FINAL DA PÁGINA]

 

A SEMANA

Editorial

Começam dia 2 as negociações do próximo ACT

A categoria petroleira é uma das mais organizadas, experientes e politizadas do país. Não é por acaso que, mesmo em todo esse cenário de horrores em que vivemos, a FUP e seus sindicatos conseguiram manter os acordos coletivos.

Ainda assim, não é incomum que diretores e diretoras do Sindipetro-NF, no dia a dia dos contatos com a categoria, se confrontem com o questionamento acerca do papel político da entidade.

“Sindicato é para falar de acordo coletivo, de direito do trabalhador, não para falar de política”. Assim poderia ser resumida a objeção ainda persistente, mesmo que de modo residual entre os petroleiros e as petroleiras.

Ocorre que, como sabe a maioria, não é possível falar de acordo coletivo, de direito do trabalhador, sem falar de política. É por isso que não é exagero afirmar que as negociações do próximo acordo começam no próximo dia 2 de outubro.

Dependendo do resultado das urnas, o país estará mais próximo ou mais afastado dos interesses dos trabalhadores, tanto em temas relacionados a direitos dos acordos quanto da defesa das empresas públicas. E não é crível achar que um sindicato de trabalhadores não deve se meter com isso, quando toda ação na coletividade é uma ação política — a propósito, como bem sabem todas as entidades patronais, que não renunciam à influência que têm.

Desespero 1

A FUP denunciou nesta semana, em matéria da Rede Brasil Atual, que a investida de comunicação da Petrobrás junto aos órgãos de imprensa para alardear uma redução de R$ 0,30 no preço do diesel é mais um uso da empresa para fins eleitorais e sintoma de desespero de Bolsonaro por conta das pesquisas que indicam a estagnação da sua candidatura. Além disso, a redução média do litro de R$ 5,19 para R$ 4,89 não consegue esconder o fato de que durante o mandato de Jair Bolsonaro, a alta acumulada é de 164,3%. Em 31 de dezembro de 2018, o litro do diesel combustível nas refinarias custava R$ 1,85.

Desespero 2

O desespero bolsonarista faz sentido. Pesquisa do Ipec divulgada nesta segunda, 19, mostra que a distância entre Lula e Bolsonaro (PL) aumentou. No cenário de primeiro turno, Lula passou de 46% para 47%, enquanto Bolsonaro permanece em 31%. Num eventual segundo turno, Lula venceria Bolsonaro por 54% a 35%.

Desespero 3

Há ainda outro dado mais desesperador para o mundo paralelo do bolsonarismo: se forem considerados apenas os votos válidos, com a exclusão das intenções para brancos e nulos, Lula fica com 52%, um ponto a mais do que na pesquisa Ipec anterior, o que garantiria a sua vitória no primeiro turno (Bolsonaro teria 34%).

FUP no MPT

A FUP participou, no último dia 13, de audiência com o Ministério Público do Trabalho (MPT) e a Coordenadoria Nacional de Promoção da Liberdade Sindical (Conalis) para denunciar práticas antissindicais nas unidades do Sistema Petrobrás. A Federação cobrou providências do MPT contra os diversos casos de assédio moral e atos antissindicais praticados sistematicamente pelos gestores.

Emprego

Seminário “Futuro da Indústria: Desafios da Política Industrial”, na sede da FUP, no último dia 19, promovido pela IndustriALL-Brasil, debateu os problemas da indústria brasileira em cada região, com a consequente estagnação das oportunidades de emprego e geração de renda. O setor petróleo tem um papel decisivo na industrialização.

Imperdível

A produção anglo-brasileira “A Fantástica Fábrica de Golpes” será exibida on-line durante três dias em sites da mídia independente (entre eles, parceiros do NF como Cafezinho, Fórum e TVT). O documentário estreou em festivais do mundo todo em dezembro de 2021. O filme de Victor Fraga e Valney Nunes aborda o histórico de golpes na América Latina.

Luto

A categoria petroleira da região está em luto pela morte, no último domingo, do petroleiro Deivison Almeida, 44 anos, que atuava como operador da Petrobrás na SCR da P-53, na base de Imbetiba. O trabalhador passou mal durante o turno da noite foi levado para o Hospital da Unimed mas não resistiu a um infarto. O NF registrou as suas condolências aos amigos, colegas de trabalho e familiares.

 

VOCÊ TEM QUE SABER

Assinados acordos após atuação massiva

O Sindipetro-NF assinou, na noite do último dia 15, o Acordo Coletivo de Trabalho da categoria petroleira, com aprovação massiva da categoria aos indicativos da FUP e sindicato. Foram 1.176 votantes na região. Além de todas as bases de terra, 22 plataformas realizaram assembleias.

O indicativo de aceitação da contraproposta de Acordo Coletivo foi aprovado por 92,60%. O indicativo de manutenção da mobilização contra a privatização e em defesa da democracia foi aprovado por 97,70%. E o terceiro indicativo, apenas para plataformas, de aprovação da renovação dos Acordos Regionais, foi aprovado por 99,59%.

“Fizemos uma campanha belíssima mesmo em um dos piores momentos da história da Petrobrás e do país, fruto da grande atuação do NF, dos demais sindicatos e da FUP. Conseguimos manter nosso acordo coletivo e nossos acordos regionais mesmo quando a gestão bolsonarista da empresa queria acabar com tudo. Temos que ter consciência disso e não transformar vitória em derrota. Toda luta se faz em um determinado contexto e soubemos lutar e conquistar neste ambiente dificílimo”, afirma o coordenador geral do Sindipetro-NF, Tezeu Bezerra.

Ele destacou o papel de cada unidade, tanto onshore quanto offshore, lembrando ainda de modo especial dos aposentados e das aposentadas, que tiveram participação intensa nas assembleias e mobilizações da categoria durante toda a campanha.

Com a assinatura do acordo, a Petrobrás fará o pagamento dos retroativos até o próximo dia 30, mantendo a data-base, com o reajuste salarial que repõe integralmente os 8,73% do IPCA acumulados nos últimos 12 meses.

Luta continua contra privatização

O Sindipetro-NF lembra à categoria a importância do indicativo de “aprovação da manutenção do estado de mobilização contra o desmonte da Petrobrás enquanto continuar as ameaças do governo Bolsonaro e em defesa da democracia”, também aprovado nas assembleias, quase por unanimidade. A luta, portanto, continua.

Diálogo com Galãs Feios no Teatro do NF nesta quinta

O Departamento de Formação do Sindipetro-NF inicia a partir desta quinta, 22, às 19h, uma série de encontros com influencers para debater os principais temas do país. Os “Diálogos de conjuntura com influencers” vão começar pelo canal Galãs Feios, dos jornalistas Helder Maldonado e Marco Bezzi, em formato híbrido (no Teatro do NF e nas redes sociais dos debatedores e do sindicato).

O canal Galãs Feios começou em 2016 com uma página de humor no Facebook. Logo migrou para o Youtube e seguiu com seu conteúdo. Em 2020, por conta do isolamento social, passaram a fazer lives diárias que alcançam em média 10 mil espectadores simultâneos.

Helder Maldonado é jornalista com passagens pelo IG, revista Sucesso!, Editora Escala, Terra, Uol e Record TV. É coautor do livro Amanhã vai ser pior – O Brasil segundo o Galãs Feios. Marco Bezzi é jornalista com passagens pela Editora Abril, JT, UOL, Estadão e Record TV. Participou de especiais na MTV e Multishow. É coautor dos livros Como o Rock pode ajudar você a empreender e Amanhã vai ser pior – O Brasil segundo o Galãs Feios.

Para participar do evento é necessário inscrever-se através do link is.gd/galas2209.

 

Assembleias: Halliburton, Franks, Baker e Schlumberger na agenda

Semana intensa de assembleias dos petroleiros e petroleiras de empresas do setor privado no Norte Fluminense. Trabalhadores da Schlumberger têm Assembleia Geral nesta quarta, 21, às 15h, para a apreciação e votação da Proposta de ACT 2022/2024 e aprovação ou manutenção do estado de Assembleia Permanente. A votação acontecerá em plataforma online de forma continuada por 24 horas após realização da assembleia extraordinária.

No dia seguinte, quinta, 22, a categoria tem duas assembleias: uma, às 9h, na Frank’s, onde será avaliada a proposta de ACT 2022/2023; e outra na Halliburton, que avalia proposta de ACT 2021/2023, às 15h. E na sexta, 23, é a vez da Baker, para avaliar ACT 2022/2024 e estado de assembleia permanente, às 9h. Todas online.

O links para a participação nas assembleias são os seguintes: Schlumberger (is.gd/schl2109), Franks (is.gd/franks2209), Halliburton (is.gd/halli2209) e Baker (is.gd/baker2309).

 

NF promove dias 22 e 29 oficina de Filosofia

O Departamento de Aposentados promove, nos dias 22 e 29 de setembro, oficinas de filosofia para a categoria. Os encontros vão acontecer em dois grupos: um das 10h às 12h e outro das 14h às 16h, na sede do Sindipetro-NF em Macaé.

Interessados e interessadas precisam fazer inscrição pelo e-mail [email protected] ou pelo whatsapp (22) 981780079 (Ivana).

Estes primeiros grupos se destinam a petroleiros e petroleiras de Macaé e proximidades. A mesma oficina será oferecida, em breve, na sede de Campos dos Goytacazes, em data ainda a ser divulgada.

As oficinas são ministradas por Pedro Jorge Miranda Abreu, que é graduado em filosofia pela UFRJ e mestre em educação pela UERJ, e por Victória Felippe França Xavier, graduada em filosofia pela UFRJ e mestranda em filosofia pela UFRJ.

“É uma oficina de filosofar. Vamos fazer dinâmicas de construção coletiva de conhecimento. Não é palestra, são dinâmicas de grupo. Nossa base teórica é a Pedagogia das Perguntas do Paulo Freire”, explicam os professores.

Setorial da semana

A setorial semanal dos aposentados acontece nesta quarta, 21, às 10h, na sede Campos dos Goytacazes. O encontro tem como tema “Indicadores socioeconômicos por governo”, com apresentação do economista Carlos Takaschi, do Dieese. Haverá ônibus saindo de Macaé às 8h. A reunião também permitirá participação online.

 

SAIDEIRA

Conheça o Pinel, um time louco pelo futebol e pela comunidade

Pinel, como expressão popular, virou sinônimo de louco. E louco, como expressão popular, é sinônimo de apaixonado, movido pelo coração. Este foi o sentido empregado para batizar o time Pinel, que assim como o Borússia CDM (Nascente 1250) e o Sporting Limão (Nascente 1252) passou a contar com patrocínio do Sindipetro-NF. Todos do distrito de Goitacazes, em Campos dos Goytacazes.

Futebol e loucura andam mesmo juntos, como comprovam as inúmeras torcidas organizadas que também cravam nos próprios nomes a referência a este estado de alegre desconexão da realidade.

Paixão e pé no chão

Mas o Pinel de Goitacazes sabe combinar as duas coisas: paixão para mover o time e pés muito cravados no chão para manter os vínculos com a comunidade, como explica João Pedro Julio, 24 anos, que é diretor da equipe e trabalha em um depósito de bebidas.

“Gostamos de ser um motivo para levar mais alegria e um pouco de entretenimento para nossos jovens. E não pensamos em ficar só no time principal. Temos um projeto onde visamos trazer as crianças da comunidade para perto. E para isso acontecer precisamos de apoios”, explica.

Fundado em 15 de junho de 2018, o Pinel está disputando neste 2022 o seu segundo campeonato, o Baixadão — que reúne times da Baixada Campista, vasta planície que se estende de Goitacazes ao Farol de São Thomé.

E mesmo tão nova, a equipe tem revelação despontando. O meio-campista Yago já atuou em times amadores mais experientes da Baixada e teve passagens pelos profissionais Goytacaz e Carapebus.

João explica que o nome Pinel veio de uma brincadeira entre amigos, é apelido de um dos integrantes da pequena legião que formou a equipe, e acabou ficando. “Surgiu de uma brincadeira de apelido e daí para frente começamos chamar assim. É um tom de humor pela brincadeira e pela doideira”, afirma.
Talvez seja como diz a canção de outra legião: “quem um dia irá dizer que não existe razão nas coisas feitas pelo coração”.

 

NORMANDO

Paralisia infantil e morte

Normando Rodrigues*

Se não houvesse morrido um único brasileiro de Covid-19, por resultado das atrocidades cometidas por Bolsonaro, bastaria o efeito de seu combate às vacinas na campanha contra a poliomielite para condenar criminalmente esse monstro.

Em seu esforço para deixar morrer os mais pobres e minimizar a gravidade do que chamou de “gripezinha”, o presidente Lobisomem fez muito mais do que ridicularizar os doentes que sofriam com falta de ar, do que escarnecer sobre o contágio, do que tripudiar os mortos.

Para proteger o lucro dos ricos Bolsonaro investiu incessantemente contra o conhecimento científico.

As máscaras antivirais foram seu primeiro alvo porque o uso em massa, nas ruas, revelaria uma população responsavelmente preocupada e alheia às boçalidades do monstro, que chegou a divulgar falas do bem falecido Olavo de Carvalho nas quais o energúmeno autodenominado filósofo sustentava que como conseguia sentir um “peido” através das máscaras elas não serviriam para deter o vírus.

Apologia da ignorância

Infelizmente o combate do fascista-mor à ciência não se limitou à apologia da ignorância da diferença de tamanhos entre uma molécula de seus miasmas intestinais e um vírus. Bolsonaro atacou furiosamente a vacinação, mesmo quando um amiguinho reacionário, o hoje decaído Boris Johnson, o tentou salvar do vexame internacional.

O resultado da campanha desse monstro contra as vacinas transcendeu tragicamente as armas contra o vírus SarsCov-2, causador da Covid-19 e robusteceu lendas e teorias conspiratórias imbecis contra todas as demais vacinações. Deixando momentaneamente de lado as consequências dessa opção política medieval nas coberturas contra sarampo, tuberculose, tétano e febre amarela, o que se viu quanto à poliomielite basta para hastear a bandeira de alerta.

Desastre no combate à pólio

Em 2021 o Brasil de Bolsonaro registrou a pior taxa de vacinação contra a pólio em 25 anos e o risco do poliovírus tornar a surgir em nossa nação, destruindo células nervosas e disseminando morte e paralisia, é hoje maior do que em qualquer outro momento desse quarto de século.

Os principais heróis de Bolsonaro, Mussolini e Hitler, viveram a pólio de perto, embora antes do desenvolvimento da vacina. O primeiro quase perdeu uma filha para a doença e o segundo tinha em seu “Carlos Bolsonaro”, o mentiroso-chefe Goebbels, uma pessoa com deficiência causada pela pólio.

Mentira para o gado

Contudo, antes que se sucumba à morbidez de afirmar que “só assim ele aprenderia”, é bom que se diga que Bolsonaro sabe da importância da vacina. Ele se vacinou contra a Covid-19 e vacinou a mãe, os filhos e netos. Apenas diz o contrário para manter seus eleitores no culto à ignorância.
Porque o fascismo, sem ignorância, não sobrevive.

* Assessor jurídico do Sindipetro-NF e da FUP. [email protected]

 

SORTEADO – O petroleiro Wilber Pereira Pacheco, empregado da Petrobrás na plataforma Namorado 2, na Bacia de Campos, recebeu na manhã desta terça, 20, o Iphone 13 Red sorteado pela entidade entre os participantes da Pesquisa da Comunicação. O aparelho foi entregue pelo coordenador geral do NF, Tezeu Bezerra, acompanhado pelo coordenador do Departamento de Comunicação, Tadeu Porto e pela assistente administrativo, Jaqueline Martins. A pesquisa contou com 1278 respondentes, entre os dias 15 de agosto e 13 de setembro de 2022. O sindicato agradece a todos e todas que participaram. As respostas vão contribuir para que o Departamento de Comunicação do Sindipetro-NF aprimore as suas ferramentas e formas de interação.

 

1257merge