Nascente 1260

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

 

 

[VERSÃO EM PDF NA ÍNTEGRA DISPONÍVEL NO FINAL DA PÁGINA]

A SEMANA

Editorial

Religião é lugar de amor e de respeito

Religião só deveria ser assunto em uma campanha eleitoral se fosse para assegurar que todas, indistintamente, tivessem liberdade de culto, guardadas eventuais extrapolações da lei e garantias fundamentais. Infelizmente, no entanto, a exploração da fé se tornou um projeto político e a questão se mostra incontornável.
Então é preciso que se diga, claramente, que um grande diálogo nacional também precisa ser feito em relação a este tema — assim como ficou claro em relação ao tema da Democracia. O país precisa se reencontrar em sua diversidade religiosa e mobilizar o que há de melhor em cada uma das crenças.

Ninguém de bom coração procura uma religião para fazer o mal, para defender a morte, para pregar a violência. O que se estimula é o respeito, a solidariedade, a boa convivência, a mão estendida aos que mais precisam. Isso é o que está na base de um encontro com a espiritualidade, qualquer que seja o caminho.

Então não é possível que um país religioso como o Brasil aceite ver boa parte das religiões serem arrastadas para os discursos de ódio, de matança, de culto às armas, de preconceito entre irmãos.

Cada petroleiro, cada petroleira, que professa a sua fé nos seus espaços comunitários, precisa contribuir com este resgate, com essa reconstrução de um ambiente de amor.

CUT avança

Os primeiros resultados do primeiro turno assustaram (e são para continuar assustando mesmo, dada eleição de alguns dos expoentes mais notórios do momento de trevas em que vivemos). Mas também há motivo para comemorar: a bancada CUT cresceu de 8 para 15 deputados estaduais e federais nas eleições deste ano. A central também viu ser reeleita a governadora Fátima Bezerra (RN), ex-dirigente sindical, e ser eleita senadora Teresa Leitão, também sindicalista e primeira mulher que vai ocupar uma cadeira no Senado por Pernambuco.

Champion

Petroleiros e petroleiras da Champion da base do NF têm assembleia geral nesta quinta, 13, às 15h, por meio virtual (Zoom, pelo link is.gd/champion131022) para deliberação acerca da proposta de ACT 2022/2024. O sindicato estimula a participação de todos e todas no processo de construção de conquistas para a categoria.

James Bod

O detetive mais simpático do Brasil está precisando de aliados para continuar a desvendar as misteriosas fakenews sobre a Petrobrás e o setor petróleo. Cadastre-se no site bodespiador.com.br para concorrer ao Kit do Bod, com materiais de divulgação e brindes da campanha.

Haja coração

Depois dos resultados das pesquisas eleitorais neste início de segundo turno, as divulgações continuam nesta semana: quarta, 12, tem PoderData; quinta, 13, tem Genial/Quaest; e sexta, 14, tem Datafolha e Ipespe. Tomadas como retrato apenas de um momento, e ainda assim com limitações metodológicas, as pesquisas são um instrumento importante de decisão.

Governo da morte

A CUT chamou a atenção, nesta semana, para o fato de que, neste mês de outubro, utilizado tradicionalmente para conscientizar sobre a prevenção ao câncer de mama, o governo Bolsonaro anunciou o corte de recursos no orçamento 2023, entre outras áreas, para o combate à doença: cairão de R$ 175 milhões para R$ 97 milhões (menos 45%).

Vale tudo

A FUP se reuniu, no último dia 4, com integrantes da Coordenação Nacional da campanha de Lula, para advertir sobre o uso eleitoreiro do preço dos combustíveis às vésperas do pleito. O governo está promovendo reduções pontuais, sem política clara e de longo prazo, e promovendo trocas açodadas em cargos de diretoria na empresa.

NF ao vivo na quinta

A Imprensa do NF está reunindo um grande time para debater um tema provocador na edição do NF ao vivo desta semana, que excepcionalmente será na quinta-feira (mas no mesmo horário das 19h30). Será “Petroleiro ainda deve apoiar Lula depois de tudo o que ele fez na Petrobrás?”. É muito importante que a categoria se inscreva no canal do NF no Youtube e ative o sininho.

 

VOCÊ TEM QUE SABER

Conquistas, direitos e avanços na balança

No início do seu governo, em 2003, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva encontrou uma inflação em 14,7%, quando saiu deixou em 6,5%. O atual governo, de Jair Bolsonaro, encontrou em 3,4% e mantém agora em 10,2%. A taxa média de crescimento do PIB (Produto Interno Bruto) do Brasil sob os governos Lula foi de 4,1%. Sob Bolsonaro, está em 0,6%.

O salário mínimo foi herdado por Lula em R$ 613,10 e elevado para R$ 940,50. Sob Bolsonaro, estava em R$ 1087,00 em sua posse e está neste 2022 em R$ 1.100,00. Com ele, era possível comprar 1,3 cestas básicas no início do governo Lula, passando para 1,9 cestas ao final. Sob Bolsonaro, caiu de 2 para 1,6 cestas.

E o dado mais dramático: o percentual da população brasileira que passava por alguma forma de insegurança alimentar, no começo do governo Lula, era de 35,2% e caiu para em torno de 30% ao final (com a erradicação da fome extrema). Sob Bolsonaro, o país passou de aproximadamente 40% de pessoas nesta situação para 58,7% (e com retorno da fome extrema).

Estes são apenas alguns dados apresentados pelo economista Carlos Takashi, do Dieese, em edição recente do programa NF ao vivo. A íntegra dos dados apresentados pelo economista para comparar os governos Lula e Bolsonaro estão disponíveis em is.gd/compara.

Posição legítima e transparente

Este é um exercício legítimo que representantes dos trabalhadores em todo o país estão fazendo neste momento, em que dois projetos muito diferentes de pais estão colocados. Enquanto banqueiros e empresários pressionam por nomeações antecipadas e querem garantias de que seus lucros serão mantidos, os trabalhadores exercem o direito de, ao menos, comparar dois governos testados pela prática para saber, em qual deles, conseguiu ter melhores condições de vida. É por isso que tantos sindicatos e centrais estão se posicionando em suas publicações e outras formas de interação. Entre eles, com transparência, o Sindipetro-NF.

 

Óleo vaza para o mar durante manobra entre tanques na P-38

O Sindipetro-NF foi informado pela categoria petroleira e confirmou junto à Petrobrás a ocorrência, no último dia 9, de vazamento de óleo durante manobra de transferência de água oleosa entre tanques na plataforma P-38, na Bacia de Campos. De acordo com a empresa, o volume vazado foi de 0,8 m3 (800 litros) de óleo.
Ainda de acordo com a gestão da companhia, o vazamento foi interrompido rapidamente e houve comunicação para ANP, Marinha e Ibama. A empresa também anunciou a criação de uma comissão de investigação.

O Sindipetro-NF acompanha o caso com muita atenção, especialmente em razão de que os relatos que tem recebido da categoria apontam para uma situação de maior gravidade do que o inicialmente descrito pela empresa.

O sindicato orienta a categoria a manter a entidade informada sobre este caso e sobre eventuais outras ocorrências e condições inseguras pelo e-mail denuncia@sindipetronf.org.br, com garantia de sigilo sobre a identidade do denunciante.

Setorial dos aposentados nesta sexta, 14, discute cenário político

Excepcionalmente, a setorial dos aposentados, aposentadas e pensionistas do Sindipetro-NF será na sexta-feira nesta semana, dia 14, às 10h, na sede de Campos dos Goytacazes. A categoria tem como pauta uma análise do cenário político brasileiro após os resultados do primeiro turno das eleições.

A setorial será feita de modo híbrido (presencial na sede e online no aplicativo Zoom pelo link https://is.gd/setapo141022 ).

Haverá participação dos diretores José Maria Rangel e Antônio Alves da Silva (Tonhão), além de advogados da assessoria jurídica do sindicato — que além do tema principal da setorial, sobre as eleições, poderão esclarecer sobre outros assuntos de interesse da categoria.

Aposentados e aposentadas de Macaé contarão com ônibus saindo da sede do sindicato na cidade às 8h. Inscrições e mais informações com a funcionária Ivana de Fátima, pelo telefone (22) 981780079 ou pelo e e-mail ivana@sindipetronf.org.br.

 

Saiba como denunciar coação eleitoral

Da Imprensa da CUT

Para ajudar os trabalhadores e trabalhadoras a denunciar os patrões antidemocráticos, que têm coagido seus empregados a votar no presidente Jair Bolsonaro (PL) com ameaças de demissão, caso o ex-presidente Lula (PT) seja eleito, a CUT lançou uma página em seu portal onde todos podem denunciar o assédio eleitoral, um crime previsto em lei.

Depois da definição do segundo turno, aumentaram as denúncias nas redes sociais de patrões tentando forçar trabalhadores a votar em Bolsonaro.

Por isso, a CUT, em seu papel fundamental de prestar assistência aos trabalhadores, disponibilizou em seu Portal (www.cut.org.br) uma página voltada para essas denúncias. O trabalhador que tiver receio de represálias pode fazer uma denúncia anônima.

Como denunciar

Ao acessar a página da CUT, tanto no computador como no celular, no topo, há o banner “Coação Eleitoral é Crime”. Este é o espaço onde todo trabalhador ou trabalhadora que presenciar ou sofrer qualquer tipo de ofensiva obrigando-os a votar no candidato escolhido pelo patrão pode fazer sua denúncia.

 

SAIDEIRA

Por mais segurança, testes de Covid serão feitos no Heliporto

Após reivindicações da categoria petroleira, dos representantes de hotéis e pousadas do Farol de São Thomé e da Prefeitura de Campos dos Goytacazes, a Petrobrás se comprometeu a implementar a realização de testes de Covid-19 no Heliporto do Farol. O anúncio foi feito em reunião no último dia 4 entre o Sindipetro-NF, a empresa, gestores municipais e hoteleiros, na base de Imbetiba, em Macaé.

O coordenador geral do Sindipetro-NF, Tezeu Bezerra, que participou da reunião junto às também diretoras sindicais Jancileide Morgado e Bárbara Bezerra, informa que a Infra, empresa que tem a concessão do Heliporto, prevê para o final do mês de outubro a finalização de obras no local para o início dos testes.
“A implantação dos testes será por ondas, por grupos de plataformas, e este calendário ainda está sendo definido”, afirma Tezeu.

A implantação dos testes no Farol tem sido apontada pelo Sindipetro-NF como uma forma de evitar os transtornos dos testes durante a madrugada, em hotéis distantes do heliporto, na região central de Campos dos Goytacazes e em Macaé.

A expectativa é a de que os petroleiros e as petroleiras passem a estar no heliporto com aproximadamente duas horas de antecedência em relação ao horário de embarque.

A medida gera segurança no trabalho a bordo, pois os petroleiras e petroleiras não iniciarão mais as suas jornadas de trabalho após terem que passar por uma madrugada de testes e translados.

Além disso, a mudança tem sido reivindicada pelos proprietários de hotéis e pousadas do Farol de São Thomé, que têm a expectativa de retorno dos trabalhadores à utilização de hospedagens na própria praia com a mudança no local dos testes.

 

NORMANDO

Comer carne humana

Normando Rodrigues*

Mais do que a disposição por carne humana confessada pelo monstro que nos governa, o que assombra é a presença da principal condição para a realização do holocausto: a indiferença. A eliminação dos indesejados é vista “sem problema nenhum”.

Em maio de 2020 escrevemos que a massa bolsonarista apoiaria o Lobisomem ainda que flagrado em canibalismo, alimentando-se de crianças. E isso se explicita agora “sem problema nenhum”.

Por que se indignar quando Bolsonaro diz que comeria um indiozinho “sem problema nenhum”? Indiozinhos já morrem de fome e nascem deformados em razão do desmatamento e do mercúrio do garimpo sob a proteção de Bolsonaro, “sem problema nenhum”.

“Sem problema nenhum” o Brasil reingressou no mapa da fome e no mapa da poliomielite, com o caso comprovado de curumim de 3 aninhos que não tinha cobertura vacinal completa, graças à cruzada antivacinas bolsonarista, que em 2021 produziu a menor imunização contra a pólio em décadas.

Cruzada hipócrita, obviamente, porque a família Bolsonaro está toda vacinada contra a Covid-19 e demais moléstias.

A volta da pólio faz lembrar do criador da gotinha, o polaco-americano Albert Sabin, que se recusou a patentear sua vacina oral a fim de que ela fosse livremente espalhada pelo mundo. Sabin prestou consultoria gratuita ao Brasil em diversas ocasiões desde os anos de 1960 e foi expulso pela Ditadura Militar em 1980 “sem problema nenhum”.

Varrida a Ditadura, o país foi finalmente declarado território livre do poliovírus em 1994, o que durou só até o monstro e sua promessa de retroceder 50 anos em 4. Para tal a vacinação infantil, que era obrigatória no recebimento do Bolsa Família, foi retirada dos requisitos de pagamento do Auxílio Brasil por Bolsonaro, “sem problema nenhum”.

Sabin, contudo, não foi enxotado por conta da pólio, mas por ter desmentido as fake news da Ditadura sobre a vacinação contra a meningite, vacinação que era muito menor do que os generais propagandeavam. E também a luta de Bolsonaro a favor da meningite rendeu resultados.

No rico estado de São Paulo, a imunização contra a meningite cobriu somente 71,7% da meta do 1° semestre de 2022 e a capital já soma 10 mortes por uma doença evitável, “sem problema nenhum”.

A raiz do “sem problema nenhum”, essa indiferença indispensável às câmaras de gás e fornos crematórios, deriva da parte mediana da população não se identificar com curumins, com negros (a carne mais barata do mercado) e com pobres, que somam 33 milhões em fome e 38,7 milhões à sombra do desemprego.
Bolsonaro já disse que esses todos “só servem pra votar”. E para serem comidos.

“É pra comer! Cozinha por dois ou três dias e come com banana… eu como!… sem problema nenhum…”

* Assessor jurídico do Sindipetro-NF e da FUP. normando@nrodrigues.adv.br

1260merge