Negligência da Petrobrás transforma P-51 em campo de contaminação

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

A negligência da Petrobrás transformou a P-51 em um verdadeiro campo minado, gerando uma grande apreensão não só nos trabalhadores embarcados, como nos que ainda vão embarcar e em seus familiares.

 

Segundo denúncias, pelo menos 40 trabalhadores testaram positivo para o vírus somente na P-51, isso sem mencionar os contaminados que estão no flotel acoplado a unidade. Infelizmente, a empresa continua com a sua política sem transparência e as informações oficiais seguem trancadas a sete chaves.

 

Apesar do caos instalado, a empresa tem alegado a falta de vôos sanitários e continua mantendo os trabalhadores à bordo, descumprindo a recomendação do Ministério Público do Trabalho, que determina o imediato desembarque de casos suspeito e/ou confirmados de Covid-19.

 

A empresa também descumpre a recomendação do MPT, que determina que em caso de surto a bordo é necessário suspender imediatamente novos embarques até a completa desinfecção da unidade e controle do surto na unidade. Porém, a empresa segue com os voos normais embarcando novos trabalhadores, que são expostos ao vírus, já que é uma situação completamente fora do controle.

 

A situação é tão alarmante, que além dos relatos dos trabalhadores, o Sindipetro-NF vem recebendo muitos apelos de familiares preocupados com seus parentes. Uma mãe relatou que seu filho está aguardando no hotel para embarcar, mas que a cada informação recebida a aflição é maior.

 

“Eles estão tratando a Covid-19 como uma gripezinha, mas não é.  Nós sabemos que os trabalhadores estão vivendo um verdadeiro caos na plataforma e ninguém faz nada. As pessoas estão testando positivo e continuando a bordo por falta de aeronaves. Quem ainda não foi contaminado, fica no meio desse caos, correndo risco. O mínimo que deveriam fazer é desembarcar todo mundo para uma desinfecção total”, declarou preocupada a mãe de um trabalhador.

 

 

 

Trabalhadores trancados sem condições mínimas

 

 

O número alarmante de casos não é o único problema da P-51. Os trabalhadores contaminados estão sendo tratados de forma desumana e sequer sabem quando poderão desembarcar para cuidar da sua saúde.

 

Há relatos de trabalhadores, que após testarem positivo para a Covid-19 ou sentirem alguns sintomas, foram obrigados a se ficarem isolados em seus camarotes sem janela e sem acesso a receber ligações externas. Além disso, não há um acompanhamento adequado da situação da saúde dos trabalhadores e nenhuma transparência não só com relação ao resultado dos exames, como a previsão de desembarque.

 

Com isso, não só a saúde física dos trabalhadores estão sendo comprometidas, como também a mental.

 

Sindicato segue atuando e conta com a colaboração dos trabalhadores

 

 

Para o Sindipetro-NF é inadmissível que a Petrobrás continue agindo contra a vida do trabalhador. É necessário que medidas energéticas sejam tomadas, imediatamente por parte dos órgãos responsáveis para que nenhuma vida mais seja perdida pelo descaso da empresa.

O sindicato continuará cobrando que as empresas sigam as determinações já feitas pelos órgãos competentes como o Ministério Público do Trabalho e ANVISA, que são fundamentais para garantir a saúde dos trabalhadores.

 

Vale lembrar ainda que a diretoria do Sindipetro-NF continua marcando presença nos aeroportos e bases, a fim de garantir esse contato direto com os trabalhadores, mas também disponibiliza canais virtuais, que garantem esse contato e a segurança do trabalhador. Os relatos podem ser enviados para [email protected] A identidade do denunciante é preservada.