NF indica Rosângela Buzanelli (1000) para reeleição do CA Petrobrás – votação começa neste sábado, 22

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Começa neste sábado, 22 de janeiro, a votação para o Conselho de Administração da Petrobrás. Este ano, o Sindipetro-NF e a FUP estão indicando novamente o voto na candidata a reeleição Rosângela Buzanelli, número 1000.

Para o Sindipetro-NF, é uma grande responsabilidade da categoria petroleira eleger uma representante que participe ativamente e lute pela empresa, principalmente, neste momento em que a categoria enfrenta o maior desmonte da história da Petrobrás. E Rosangela, ao longo do seu primeiro mandato já demonstrou que não se curva aos “encantos” do mercado, nem às pressões e questionamentos.

Veja alguns dos posicionamentos de Rosângela durante seu mandato no CA:

 

– Posicionei-me firmemente contra a intenção de venda do complexo Albacora e de 50% dos campos de Marlim, na Bacia de Campos

 

– Votei contra a venda de campos de petróleo terrestres e em águas rasas, como o Polo Recôncavo da Bahia, Polo de Alagoas e Polo Kiriri, em Sergipe

 

– Votei contra a venda das refinarias: RLAM, na Bahia; REMAN, em Manaus; e SIX, no Paraná

 

– Votei contra a venda das ações remanescentes da BR Distribuidora

 

– Votei contra os “planos estratégicos” 21/25 e 22/26, que apequenam a Petrobrás e provocam a desverticalização, desintegração e desmonte da empresa

 

– Votei a favor da criação de um programa de apoio a famílias de baixa renda, contribuindo com o acesso a insumos essenciais, com foco no gás de cozinha

 

Conheça as principais propostas para o meu novo mandato, que será a continuidade da minha atuação no CA:

 

– Continuar atuando com qualificação técnica, ética e transparência, mantendo os canais de comunicação abertos para aprimorar o mandato;

 

– Fortalecer a luta em defesa da Petrobrás por meio de diálogo aberto e transparente entre os trabalhadores das diferentes atividades da companhia;

 

– Questionar e contrapor com embasamento técnico todas as ações que agridam os interesses da nossa empresa e de seus profissionais;

 

– Defender mais investimentos em pesquisa e desenvolvimento e lutar pelo fortalecimento de Universidade Petrobrás;

 

– Lutar pelo incremento da representatividade feminina em cargos de liderança, por políticas claras contra o assédio moral e sexual e pelo respeito à diversidade, com igualdade de oportunidades nas representações e cargos na empresa;

 

– Defender uma política de sustentabilidade mais clara e consistente, que contemple investimentos em energias renováveis;

 

– Defender mais investimentos na Exploração, no Refino e Petroquímica;

 

– Mais investimentos nas áreas de Responsabilidade Socioambiental, Cultura e Esportes;

 

– Defender SMS como valor na empresa, com investimentos consistentes com essa visão, incluindo os trabalhadores nas discussões e decisões desses temas;

 

– Cobrar a elaboração e divulgação de planos estratégicos, que olhem de fato para a sustentabilidade da companhia a médio e longo prazos.