NF orienta trabalhadores a não aceitarem coação para assinar termos

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

O Sindipetro-NF tem recebido nestas primeiras horas de greve na Bacia de Campos relatos de que as gerências da Petrobrás estão coagindo trabalhadores a assinarem termos que são indevidos em um movimento paredista, caracterizando assédio e prática antissindical. Um termo seria de entrega do posto de trabalho e outro seria de desembarque. Nenhum deles deve ser assinado pelo petroleiro.

O sindicato reafirma que, uma vez iniciada a greve, às 19h de hoje, toda a relação de hierarquia foi rompida na empresa, como prevê a lei de greve. Os trabalhadores se reportam apenas ao sindicato e nenhuma conversa com as chefias nos locais de trabalho deve ser feita. A entidade recomenda que os petroleiros se mantenham em grupo e não aceitem abordagens, principalmente individuais, dos gerentes.

Outra forma de coação praticada pelos gerentes é a tentativa de passar uma lista na plataforma para registrar os nomes dos petroleiros em greve, que seriam destinados ao desembarque. O NF orienta os trabalhadores a não produzirem esta lista. Durante o movimento, a categoria não deve obediência aos chefes. Todas as rotinas a bordo devem ser mantidas e a operação deve ficar sob controle dos trabalhadores. As perdas na produção devem ser registradas no boletim como decorrentes da greve.

Todos os casos de assédio e coação devem ser informados ao NF, pelo e-mail [email protected] O sindicato vai encaminhar as situações relatadas para o Ministério Público do Trabalho e para a Comissão de Ética do sindicato.