NF reforça exercício de Direito de Recusa nos treinamentos

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

O Sindipetro-NF reforça a orientação de que os petroleiros e petroleiras exerçam o Direito de Recusa e não participe de atividades, nos cursos e treinamentos, que impliquem em risco de contaminação pelo novo coronavírus. Desde o ano passado a entidade tem alertado que os treinamentos, em muitos casos, podem ser adiados em razão da pandemia. E os que precisarem ser feitos agora não podem ter tarefas impostas aos participantes que gerem risco de adquirir covid-19.

“Os petroleiros e petroleiras podem até participar de cursos, se cumpridas das condições de prevenção, o que orientamos é não fazer qualquer atividade do curso que implique em risco de contaminação”, explica o diretor do Departamento de Saúde do Sindipetro-NF, Alexandre Vieira.

A entidade tem denunciado que a Petrobrás descumpre documento com recomendações da própria companhia — como, por exemplo, a de não realização de aglomerações e de atividades que exijam dispensa do uso de máscaras.

As condições dos cursos devem ser relatadas para o e-mail de denúncias da entidade: [email protected]

De acordo com as recomendações da própria Petrobrás sobre cursos e treinamentos durante a pandemia, a sala de aula do curso deve permitor distanciamento social mínimo de 1 metro entre os participantes e o uso de máscara durante toda duração do treinamento (com troca a cada 3 horas, em caso de umidade ou sujidades, em local que permita higienização das mãos). Também é recomendada a higienização frequente das mãos com água e sabão ou de álcool em gel a 70%, principalmente após tocar maçanetas, corrimões, botões, entre outros.

Os procedimentos da companhia também recomendam não compartilhar materiais didáticos ou de uso exclusivo, assim como, para a assinatura da lista de presença, caso seja em meio físico, a utilização de uma caneta própria. Outra orientação é não tocar olhos e bocas sem lavar as mãos.