Perenco têm contratos até 2040

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp

*Efraim Neto

A diretoria da ANP aprovou a extensão até 2040 dos contratos de concessão dos campos de Carapeba, Pargo e Vermelho, operados pela Perenco, em  águas rasas da Bacia de Campos. O plano prevê investimentos firmes da ordem de US$ 192 milhões e mais US$ 170 milhões contingentes, que podem fazer os investimentos totais atingirem US$ 362 milhões.

Para 2021, estão previstas 58 ações de recuperação de poços nos campos, envolvendo também intervenções em oleodutos, a recompletação de poços, reparos e aumento de capacidade das bombas centrífugas submersas (BCS) em 2021.

Investimentos firmes e contingentes previstos por campo

Pargo | R$ 83,9 milhões – R$ 23,9 milhões firmes e R$ 60 milhões contingentes
Carapeba | R$ 159,9 milhões – R$ 87,9 milhões firmes e R$ 72 milhões contingentes
Vermelho | R$ 118.8 milhões – R$ 80,8 milhões firmes e R$ 38 milhões contingentes

Também estão previstos investimentos firmes em infraestrutura. A Perenco vai instalar um FSO (terminal offshore para armazenamento de petróleo) em Pargo até 2022. E simplificar as plataformas de Carapeba e Vermelho, reduzindo o tamanho e o número de equipamentos, até 2023, além de substituir e recuperar três oleodutos em Vermelho.

Royalties

A diretoria da ANP também aprovou a redução da alíquota dos royalties para os três campos. Estimativas da ANP indicam que os investimentos firmes que serão feitos na revitalização da produção vão gerar acréscimo de R$ 22,9 milhões em royalties no campo de Pargo, entre 2021 e 2027. Em Vermelho, a estimativa é de acréscimo de R$ 27,6 milhões entre 2023 e 2040.
Os cálculos indicam ainda que a retomada da produção no campo de Carapeba vai gerar mais R$ 113,4 milhões entre 2021 e 2040 em royalties para União, estados e municípios. A desativação dos campos está estimada em US$ 390 milhões.

**sócio/analista da Veredas Inteligência Estratégica