Menu fechado

Petrobrás adota protocolo de fome

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp

O protocolo COVID-19 adotado pela Petrobrás coloca os trabalhadores confinados por três dias em hotéis antes do embarque. Tem chegado ao sindicato reclamações dos trabalhadores que têm embarcado com fome.  Um exemplo  são as pessoas que ficam confinadas em hotéis em Macaé e precisam sair às 5h da manhã para o Farol de São Thomé, sem tomar café da manhã. Esses trabalhadores e trabalhadoras levam mais de duas horas na estrada e quando chegam no Heliporto não podem procurar um lugar para se alimentar porque o protocolo COVID não permite.

Desde o início da adoção desse protocolo, a diretoria do Sindipetro-NF havia alertado aos gestores que o formato não era adequado, mas pelo seu perfil autoritário a gestão bolsonarista não ouviu o sindicato. Para a entidade esse problema poderia ser solucionado se a empresas fornecesse um lanche a bordo dos ônibus, mantendo a qualidade de vida de seus trabalhadores

Como se não bastasse a falta de alimentação para quem sai cedo para o trabalho, a empresa está apontando apenas 8h de trabalho para quem está confinado, sem levar em conta que as pessoas estão isoladas, sem poder fazer qualquer tipo de atividade extra, o que afeta o psicológico de qualquer um. A diretoria do NF afirma que diante do tempo dedicado à empresa, o trabalhador deveria ter reconhecido suas 12h de trabalho.

O Sindipetro-NF vem alertando a empresa sobre o modo negligente como tem tratado a vida de seus trabalhadores e trabalhadoras. Essa gestão bolsonarista não respeita nem o Ministério Público do trabalha ao descumprir as recomendações do órgão.

A entidade mantém o chamado à categoria para que seja a principal fiscal da prevenção à COVID-19, enviando denúncias para [email protected] Esta sintonia entre os petroleiros e petroleiras e o sindicato tem sido importante para fundamentar a atuação sindical junto aos órgãos fiscalizadores e na cobrança à própria Petrobrás.