Petrobrás oculta dados sobre trabalhadores contaminados pela Covid-19

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Durante a reunião de EOR e SMS, na última semana, o Sindipetro-NF teve mais uma vez a confirmação de que a empresa continua omitindo informações importantes sobre a contaminação dos trabalhadores por Covid-19.

 

A empresa informa apenas que nas bases do Sindipetro- NF foram 1777 casos confirmados e 10 óbitos. Os dados não contabilizam os casos de óbitos de trabalhadores terceirizados, reduzindo drasticamente, de forma artificial, os dados reais.

 

Outra redução artificial descoberta na reunião foi no total de contaminados e de óbitos. Nesta reunião foi identificado que um total de 1380 casos confirmados e 16 óbitos de trabalhadores, que não estavam sendo informados ao Ministério de Minas e Energia, ou seja, a empresa vem ocultando pelo menos 14% dos casos.

 

Um dos motivos dessa omissão de informação é que a empresa prioriza a produção ao invés da vida do trabalhador. Há diversas denúncias de trabalhadores, que embarcaram em plataformas com surto de Covid-19.

 

“Essa posicionamento da Petrobrás impede que os trabalhadores e o sindicato possam ter noção de onde estão ocorrendo os surtos.  Além disso,  os trabalhadores embarcam e muitas vezes são surpreendidos com um surto já em curso na unidade que chegam. A empresa não informa, porque sabe que se os trabalhadores e sindicatos forem informados não aceitaram embarcar com alto risco de se contaminarem. Devemos priorizar sempre a vida do trabalhador”, declarou o diretor Alexandre Vieira.

Como se não bastasse a falta de divulgação dos dados, a empresa restringe o rastreio de contactantes a memória dos contaminados pela COVID,ou seja, se a pessoa positiva esquecer de algum contato o contactante não poderá se precaver.

Para o sindicato, a empresa deveria informar aos trabalhadores a sala ou local de trabalho do contaminado para que o contactante possa se prevenir.

“Se por exemplo fosse um caso de meningite ou outra doença contagiosa pelo contato com mucosas ou vias aéreas? Sabemos que todos do local seriam informados. Então porque com a COVID-19 que já vitimou 74 trabalhadores próprios e mais de 600 mil brasileiros é feito diferente? Para a COVID-19 é aceitável as mortes? E porque os órgãos de fiscalização nada fazem? Todas essas questões são respondidas quando lembramos que essa gestão da Petrobras é indicada por um Presidente da República que não se importa com as mortes, mente e não segue a ciência”, lamentou Alexandre.

É importante ainda ressaltar, que os trabalhadores não devem aceitar essas arbitrariedades da Petrobrás contra suas vidas; Da mesma forma que somente pela luta foi conquistada a libertação dos escravos, a derrota da Alemanha nazista, as leis de proteção ao trabalhador. Somente a luta pode evitar mais sofrimento aos trabalhadores e familiares.

Todos os trabalhadores podem e devem denunciar ao sindicato todas as medidas que coloquem suas vidas em risco. Os relatos podem ser enviados para [email protected] A identidade do denunciante é preservada.