Petroleiro escritor de P-43 convida para viagem literária a Israel

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

O petroleiro Antonio Sanz, 50 anos, que atua há quase duas décadas na P-43 como técnico de manutenção pleno da Petrobras, mantém uma carreira profissional paralela que tem sido valorizada e admirada pelos próprios colegas de plataforma: a de escritor. São eles os primeiros a apoiarem os seus projetos e não tem sido diferente agora, com o lançamento da campanha de financiamento coletivo do livro “Israel: 10.000 anos em 10 dias” (Janela dos Sonhos), disponível em catarse.me/israel.

A relação de Sanz com os livros é antiga, sempre gostou de literatura, mas foi em 2010 que aconteceu uma virada. Ele escreveu o romance “Meio fio”, uma história de luta contra o preconceito para que o amor prevaleça na vida de um casal formado por um rapaz negro, de família pobre, e uma moça branca, de família abastada de Campos dos Goytacazes. A obra ficou na gaveta e só foi publicada em 2017.

Nestes sete anos, quem acabou tocada pela chama da literatura foi a filha do petroleiro, Jéssica Sanz, de 24 anos, que inspirada pelo pai começou também a escrever. Já bastante conhecida nos meios literários, ela publicou recentemente seu quarto livro, “A lâmina curva”, que abre a trilogia “Dominus”. Os outros três anteriores, “A guerra do tempo”, “A jóia de octeto” e “A terra dos perdidos” compuseram a trilogia “Maya Fujita” — todos também pela Janela dos Sonhos, selo editorial que pai e filha criaram para publicarem os próprios livros.

Viagem à Terra Santa

O livro de Antonio Sanz sobre Israel começou a nascer em uma viagem que fez à Terra Santa, em 2016, junto com a esposa, a pedagoga Leidia Sanz, 54 anos, em uma caravana da igreja Assembleia de Deus. A motivação religiosa se somou ao interesse histórico e arquitetônico e surgiu a ideia de registrar a experiência.

O resultado é uma obra com 270 páginas, com planejamento gráfico agradável que lembra o de uma revista, que permite aos leitores viajarem por locais descritos na Bíblia como o Muro das Lamentações, o Túmulo de Jesus, o Rio Jordão, o Mar da Galiléia, o Monte Carmelo, o Monte Moriá, o Getsêmani, o Monte das Oliveiras, entre outros — em cidades como Jerusalém, Cafarnaum Nazaré, Belém e Caná.

Além de “Meio fio” e “Israel: 10.000 anos em 10 dias”, Antonio Sanz participou de três antologias de poemas: “Amo Amar Você Vol.5”, “Celebra Sul e Sudeste” e “Partenon”. Muito presente em feiras literárias país afora, o autor é membro da Academia de Letras do Brasil (ALB) e do Núcleo Acadêmico de Letras e Artes de Portugal (Nalap).