Por ouvidos moucos e teimosia, a Unidade P-54 ficou parada 30 dias

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

 Alexandre Vieira*

Parece rima ou poesia, mas é falta de gestão. A P-54 foi interditada pela ANP por cerca de trinta dias, devido a falta de inspeção e problemas no Sistema de Drenagem Aberta, responsável por exaurir a água que se acumule na unidade devido a condições naturais como chuva ou ondas.
À primeira vista pode parecer um sistema sem importância, mas a obstrução ou vazamentos neste sistema pode acarretar a descarga de resíduos no meio ambiente, devido ao arraste ou transbordamento.

Mas não é de hoje que o Sindipetro-NF avisa sobre este problema aos gestores da companhia. Em todas as auditorias de Certificação do Spie é dita a necessidade de que este sistema e outros como Combate a Incêndio, Flare e Dreno Fechado, sejam inspecionados não somente com base na sua integridade estrutural, mas que a avaliação leve em conta a funcionalidade do sistema.

Contudo, o problema não se trata apenas do formato da inspeção, ele também demonstra a falta de Efetivo para Realizar a Inspeção. Pois não há como se justificar a não inspeção externa de um sistema de tubulação.

Daí fica a pergunta:

Qual será a ação da companhia com os gestores responsáveis pela interrupção da operação de uma plataforma? Será que haverá punição por deixar a degradação do sistema e do efetivo chegar ao ponto de ser interditado pela ANP. Ou estes apenas seguem a cartilha de destruição da Petrobras? Cartilha criada e aplicada de forma predatória pela atual alta gestão executiva da companhia.

Sabemos que de maneira alguma essa gestão predatória voltada a lucros para os acionistas sera penalizada pelos executivos da companhia. Cabe então a nós trabalhadores, patriotas fazer a nossa parte. Denunciando essa e outras trapalhadas dos gestores ao SindipetroNF. Pois quem sofre com essa degradação somos nós trabalhadores que temos nossas vidas colocadas em risco e o povo brasileiro que sofre com a política de preços voltada a tirar dos pobres e dar aos amigos milionários de Paulo Guedes. Tudo isso com o aval dos militares que hoje não entendem ou não se interessam pela soberania Nacional. E sim pelos cargos com altas remunerações que estes estão posicionados em vários escalões dessa governo militarizado.

 

* Coordenador do Departamento de Saúde do Sindipetro-NF.