Primeiro campo comercial de petróleo do Brasil é entregue à iniciativa privada

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Da Imprensa do Sindipetro-BA – O sonho de soberania a partir da comercialização do petróleo desce pelo ralo no governo Bolsonaro e está sendo destruído no seu nascedouro: a Bahia. No estado nordestino, onde o Brasil e o petróleo foram descobertos e a Petrobrás foi criada, não resta quase nada da estatal.

Após a venda de inúmeras unidades da Petrobrás, uma delas, a mais simbólica, foi entregue em definitivo para a empresa 3R Petroleum, na terça-feira (10). Trata-se do Campo de Candeias, onde está localizado o Candeias 1, primeiro campo comercial de petróleo do Brasil.

O campo faz parte do Polo Recôncavo comprado pela 3R Petroleum que já instalou, inclusive, uma faixa com a sua logomarca em frente ao monumento histórico, que ainda está em plena atividade e continua produzindo petróleo.

O Campo de Candeias, que entrou em atividade em 14/12/1941, pertencia ao Conselho Nacional de Petróleo, pois a Petrobrás ainda não havia sido criada. A partir da descoberta deste campo um novo cenário começou a ser desenhado no Brasil, tornando o petróleo realidade em outros estados também.

O Polo Recôncavo e outros polos de produção de óleo e gás na Bahia foram entregues à iniciativa privada pelo governo Bolsonaro, mas antes disto houve luta. Muita luta mesmo foi travada pelo Sindipetro Bahia, pela FUP e pela categoria petroleira em diversas esferas: sindical, política e jurídica. Houve greves, mobilizações e paralisações contra a venda dos campos terrestres de petróleo. As entidades sindicais e os petroleiros fizeram o seu papel e continuarão alertas em defesa da soberania, da Petrobrás, dos direitos e da democracia.