Segundo dia da Greve começa com adesão de 35 plataformas na Bacia de Campos

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

O segundo dia de Greve Nacional dos Petroleiros começa com um quadro atingido durante a madrugada, na Bacia de Campos, de adesão de 35 plataformas. Destas, 22 estão completamente paradas, oito estão com poços restringidos (com reduções na produção que variam de 20% a 97%) e cinco foram passadas para as equipes de “pelegos” (contingência formada pela Petrobrás).

Estão no movimento de greve as plataformas PCE-1, PGP-1, PPM-1, PPG-1, PNA-2, PCH-1, PCH-2, PVM-1, PVM-2, PVM-3, P-07, P-08, P-09, P-12, P-15, P-18, P-25, P-26, P-20, P-31, P-32, P-33, P-37, P-40, P-48, P-50, P-51, P-52, P-53, P-54, P-56, P-61, P-62, P-63 e P-65. No Terminal de Cabiúnas (Tecab), em Macaé, o grupo A ocupou a base, seguindo o indicativo do Sindipetro-NF.

Nacional

Nas demais bases do País, de acordo com a Federação Única dos Petroleiros (FUP) em informe divulgado no final da noite de ontem, a greve segue com grande adesão. Na Reman (AM), houve corte de rendição com adesão de 90% dos trabalhadores e 100% nos Terminais Aquaviários de Coari e Solimões. Na Bahia, as unidades da RLAM, Fafen e Terminal da Transpetro em Madre Deus, houve corte de rendição iniciado às 15h, com adesão de 60% dos trabalhadores de turno.

No Ceará, estão paralisadas 13 unidades operacionais da Petrobrás, entre elas plataformas marítimas e campos de produção terrestre. Segundo informações do sindicato, até o momento, apenas 32% da produção de óleo e 37% da produção de gás estão em funcionamento. Na Petrobrás Biocombustível de Quixadá, a greve teve 100% de adesão, inclusive de supervisores, que entregaram a produção da unidade.

No Rio Grande do Norte, a greve foi deflagrada no Pólo de Guamaré, em todas as plataformas marítimas e na Usina Termoelétrica Açu. Em Pernambuco, os trabalhadores do Terminal da Transpetro em Suape e da Refinaria Abreu e Lima fizeram corte total de rendição na unidade. No terminal, houve o impedimento do carregamento de bunker que abastece as térmicas da unidade.

Na base do Sindipetro Unificado de São Paulo, houve 100% do corte de rendição nas refinarias de Capuava (Recap) e de Paulínia (Replan). Na Usina Termoelétrica Luiz Carlos Prestes Três Lagoas (MS), os trabalhadores também aderiram à greve.
Em Duque de Caxias, houve corte de 100% da rendição na Reduc e no Terminal Campos Elíseos. No Espírito Santo, as Unidades de Tratamento de Gás de Cacimbas (UTGC) e UTG-Sul estão com adesão de 100% dos trabalhadores para a greve.

No Rio Grande do Sul, a rendição foi cortada na Refinaria Alberto Pasqualini (Refap) e nos terminal da Transpetro Sepé Tiaraju e Rio Grande. Para Minas Gerais e Paraná, a previsão era de início do corte de rendição nas unidades operacionais às 23h de ontem.

Os petroleiros estão em greve nacional em defesa da Pauta pelo Brasil, um conjunto de reivindicações que têm como objetivo manter a Petrobrás como indutora do desenvolvimento do País, com papel social e com respeito aos direitos dos trabalhadores.