Tentativa de invasão do Congresso fere seguranças e manifestantes

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

 

 

Tentativa de invasão do Congresso fere seguranças e manifestantes
Agência Brasil
 

Brasília – Um princípio de tumulto aconteceu na tarde de hoje na rampa do Congresso Nacional. Manifestantes que faziam protesto contra a reforma da Previdência, na Esplanda dos Ministérios, atiraram pedras e quebraram as vidraças do salão negro do Congresso Nacional. Seguranças e manifestantes se feriram. Pelo menos um manifestante e um segurança foram encaminhados ao serviço médico da Câmara com cortes provocados pelos estilhaços.

A Polícia retirou os manifestantes da rampa do Congresso Nacional e formou um cordão de isolamento. Alguns manifestantes conseguiram chegar ao salão verde da Câmara, próximo ao plenário, mas foram contidos pelos seguranças. Um desses manifestantes, ferido e sangrando, foi encaminhado ao serviço médico. Apesar do forte esquema de segurança montado pela PM nas entradas, vários manifestantes ainda permanecem na rampa do Congresso e dentro do espelho d’água em frente ao parlamento.

Central de Servidores nega que seus filiados tenham participado de ato de violência

Em nota divulgada hoje, a Central dos Servidores Públicos (CSP) informa que nenhum de seus filiados participou do ato de violência ocorrido hoje por ocasião da tentativa de invasão ao Congresso Nacional. A CSP esclarece que, por meio de carro de som, tentou conter os ânimos dos manifestantes mais exaltados e ajudou a coordenar a marcha para que ela voltasse ao tom pacífico de antes. A Central dos Servidores Públicos diz ainda, na nota, acreditar que somente com a negociação e com manifestações pacíficas conseguirá convencer os parlamentares a rejeitar a emenda constitucional da reforma da Previdência, que “fere direitos adquiridos dos trabalhadores e abre espaço para a privatização da Previdência Social”.

Marcos Chagas e Iolando Lourenço – Foto: ABr