Trabalhadores de P-51 e P-62 denunciam contaminação a bordo das plataformas

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Neste 1º de maio, chegaram mais denúncias de contaminação por COVID-19 nas plataformas de P-51 e P-62. Em P-51 os trabalhadores contam que existem quatro pessoas contaminadas a bordo e há várias pessoas desembarcando com COVID-19, mas que as empresas não estão testando no desembarque.

“Subimos bem, mas não sabemos se estamos bem ao retornar para casa. Muitos estão fazendo os testes por conta própria e recebendo o diagnóstico positivo já em casa” – afirma um trabalhador que não quis se identificar. O principal medo dos trabalhadores além de sua contaminação é passar para suas famílias.

Um dos trabalhadores reclamou que após desembarcar apresentou tosse seca e diarreia, após pagar pelo teste constatou a contaminação. “O negócio tá(sic) feio a bordo! Só Deus para ajudar a gente aqui em cima. A empresa só está preocupada com o dinheiro” – disse um trabalhador.

Os petroleiros de P-51 também denunciam que muitos estão sendo testados como gripe e trabalhando normalmente, após liberação do médico. Outros, com medo de perder o emprego, nem falam que estão com sintomas e acabam contaminando os outros. Tem pessoas da hotelaria, carga e trabalhadores da Actemium na plataforma com sintomas.

Em P-62 os trabalhadores falam em sete pessoas contaminadas a bordo, sendo que uma desembarcou na escala normal, mais seis casos suspeitos. Reclamam da falta de testagem a bordo e por terem que conviver com pessoas contaminadas, em consequência ficam com o psicológico abalado.

A diretoria do Sindipetro-NF  exige que a categoria petroleira seja tratada com respeito e que a Petrobrás realize testagem de toda força de trabalho, não só nos embarques, mas a bordo e nos desembarques.

O NF irá questionar a Petrobrás e encaminhar denúncia aos órgãos competentes.