Menu fechado

Venda de 50% da Petrobras no Polo Marlim preocupa candidatos a prefeito de Campos

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp

Os dois candidatos a prefeito de Campos que estão no segundo turno viram com preocupação o anúncio feito pela Petrobras nesta segunda-feira (13) para a venda de 50% de sua participação nas concessões de Marlim, Voador, Marlim Leste e Marlim Sul, denominadas em conjunto como Polo Marlim, na Bacia de Campos. Para Caio Viana (PDT) e Wladimir Garotinho (PSD), o que mais preocupa é o impacto social e econômico da atual política de desinvestimentos da Petrobras na Bacia de Campos. Ambos assinam a carta “Compromisso Público em Defesa da Petrobras”, elaborada pelo Sindicato dos Petroleiros do Norte Fluminense (SindipetroNF), que tem como objetivo obter dos postulantes o compromisso de suas gestões com a permanência dos investimentos da empresa na Bacia de Campos, caso sejam eleitos.

 

Caio Vianna e Wladimir Garotinho, candidatos à Prefeitura de Campos
Caio Vianna (PDT) e Wladimir Garotinho (PSD)

 

“A nossa gestão na Prefeitura de Campos dos Goytacazes será focada no cuidado com as pessoas e no desenvolvimento econômico da nossa cidade. Como campista, tenho como missão gerar emprego e renda para o nosso povo. A Petrobras tem papel central na nossa economia e, como prefeito, defendo a empresa e, sobretudo, os trabalhadores do setor. O nosso compromisso é defender os interesses da nossa população”, disse Caio Vianna, candidato do PDT.

“É o nosso compromisso como prefeito lutar pela manutenção da Petrobras na Bacia de Campos, porque a sua presença é fundamental para garantir empregos e desenvolvimento. Aos petroleiros e trabalhadores da Bacia de Campos, reafirmo o meu comprometimento com um amplo movimento de defesa do direito de quem produz como também de quem trabalha. Sou deputado federal e estou presidente da frente parlamentar que defende os direitos dos municípios produtores e vamos usar dessa experiência para mobilizar e gerar resultados para a população”, afirmou Wladimir Garotinho, candidato do PSD.