Petrobrás se atrapalha na logística e obriga petroleiros a fazer mais deslocamentos em plena pandemia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

O Sindipetro-NF teve acesso a e-mail da gerência da Petrobrás aos trabalhadores que, ainda sob vigência dos protocolos de prevenção à Covid-19, dispensa nestes dias 15 (ontem) e 16 (hoje) os empregados moradores de cidades circunvizinhas de Macaé e de Campos dos Goytacazes do isolamento que vinha mantendo antes do embarque, em hotéis da região.

A companhia, no entanto, mantém a necessidade de realização dos testes de Covid nos laboratórios destas cidades, dias antes do embarque, o que gera deslocamentos adicionais que não estão sendo feitos sob os cuidados da empresa.

“Os moradores de Macaé e cidades limítrofes serão excepcionalmente dispensados do cumprimento do isolamento em hotel nas datas de 15/08/201 e 16/08/2021. […] Alguns moradores de Campos realizarão a testagem no próprio município, de forma que possam continuar em suas residências”, afirma o documento da empresa.

A justificativa da gestão da Petrobrás é a ocorrência de transferência nos voos em razão de más condições meteorológicas, o que deveria ser previsto e absorvido por uma logística eficiente.

O sindicato tem alertado que a opção de ficar em hotel no pré-embarque expõe os trabalhadores a riscos. No entanto, com esta medida, explica o coordenador do Departamento de Saúde do Sindipetro-NF, Alexandre Vieira, “a companhia conseguiu piorar o que não estava bom” — aumentando o número de deslocamentos dos trabalhadores entre as cidades.

A medida tomada pela empresa descumpre o protocolo da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) para prevenção à Covid-19, que prevê em seu item 9: “O deslocamento da residência para o local de embarque deverá ser realizado seguindo as recomendações de precaução padrão e mediante a utilização de máscara de tecido. O deslocamento não poderá ocorrer em transporte público e deverá ser realizado utilizando-se veículo particular, disponibilizado pela empresa. O tripulante deve ser orientado a permanecer no banco traseiro, com as janelas abertas e sem uso de sistema de climatização artificial (ar condicionado)”.

NF paga pelo transporte

O NF denuncia que os petroleiros e petroleiras não podem pagar pelo despreparo logístico da gestão da empresa. A entidade se disponibiliza a custear pelo transporte individual de cada trabalhador ou trabalhadora que se sentir prejudicado (basta fazer contato com o Departamento de Saúde do Sindipetro-NF pelo Whatsapp (22) 98123-1882, das 7h30 às 12h e das 13h30 às 17h).

Surto nas plataformas

O desleixo da Petrobrás no enfrentamento à pandemia em suas operações tem sido recorrente. Na semana passada, o Sindipetro-NF denunciou que o surto recente de Covid-19 na plataforma P-43, com 19 casos confirmados até a última sexta-feira, era um resultado do descumprimento de pelo três recomendações do Ministério Público do Trabalho, além de uma decisão judicial em ação civil pública.