Os diretores do Sindipetro-NF, Alessandro Trindade e Valdick Oliveira, e o coordenador da FUP, José Maria Rangel, participaram hoje no Rio do ato de lançamento da Frente Parlamentar Mista em Defesa da Soberania Nacional, no auditório do Clube de Engenharia do Rio de Janeiro. Participaram representantes de partidos políticos, movimentos sociais, entidades sindicais, religiosas, culturais, esportivas, de jovens, mulheres, grupos sociais variados, blogosfera e sociedade civil.

A Frente será presidida pelo Senador Roberto Requião (PMDB-PR) e ocupará a secretaria-geral, o Deputado Patrus Ananias (PT-MG). Também  conta ainda com a liderança dos senadores Linbergh Farias (PT-RJ), Gleisi Hoffmann (PT-PR) e Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) além dos deputados Wadih Damous (PT-RJ), Jandira Feghali (PCdoB-RJ), Glauber Braga (PSOL-RJ), Celso Pansera (PMDB-RJ), Afonso Motta (PDT-RS) e Odorico Monteiro (PSB-CE).

Durante a atividade foi lançado um manifesto e o abaixo-assinado da Campanha Nacional pelo Plebiscito Revogatório das medidas antipopulares do governo Temer.

O abaixo-assinado mostra que o Governo Temer tem desaprovação massiva (95%) do povo brasileiro e por isso não tem legitimidade para tomar quaisquer medidas privatistas e da possibilidade de se “anular decretos, portarias, legislações, restabelecendo o direito dos brasileiros sobre o seu território, o espaço aéreo, o mar territorial, suas florestas, suas riquezas minerais, sobre a produção e distribuição de energia elétrica, sobre o petróleo, notadamente suas reservas da camada pré‐sal.”

O Projeto de Decreto Legislativo, base do abaixo-assinado, foi firmado por 36 senadores e afirma que interesses particulares têm conduzido a atual gestão federal a vender algumas das maiores riquezas brasileiras. O Projeto, liderado pelo senador Requião, foi protocolado em 27 de setembro último e convoca plebiscito/referendo por meio do qual a população brasileira dirá se concorda ou não com os processos de privatização (a) da empresa Centrais Elétricas Brasileiras S.A – Eletrobras; (b) da Casa da Moeda do Brasil e (c) de empresas subsidiárias da Petróleo Brasileiro S.A – Petrobras.

 

Os petroleiros do NF estão realizando assembleias e rejeitando a proposta da empresa apresentada no dia 14 de setembro e o corte de direitos. Até o momento 32 plataformas e bases de terra avaliaram os indicativos. Falta apenas o Grupo B da base de Cabiúnas realizar assembleia hoje, às 23h. 

Votaram a favor da rejeição da proposta apresentada pela Petrobras, Subsidiárias e Araucária Nitrogenados no dia 14 de setembro, 1231 trabalhadores, sendo 15 contra e 7 abstenções. Sobre o indicativo "Com redução de direitos não tem acordo" a votação foi de 1228 a favor, 09 contra e 16 abstenções. Um total de 1203 aprovaram estado de greve e assembleia permanente, 31 foram contra e 19 se abstiveram e 1093 foram a favor do fim das interinidades, 12 contra e 80 se abstiveram. 

Confira abaixo o resultado parcial:

1 - Rejeição Propost. 14-09
Plataforma Favor Contra Abstenção
Cabiunas 94 15 3
Campos 68 0 0
Edinc 120 0 0
Imbetiba 90 0 0
Aero Campos 4 0 0
PT 139 0 1
PCE-1       
PGP-1       
PRA-1  14 0 0
PPM-1      
PPG-1       
PNA-1       
PNA-2  22 0 0
PCH-1  20 0 0
PCH-2  22 0 1
PCP 1/3  9 0 0
PCP 2  7 0 0
PVM-1 6 0 0
PVM-2       
PVM-3       
P-07       
P-08  26 0 0
P-09  20 0 0
P-12  11 0 0
P-15  13 0 0
P-18  28 0 0
P-19       
P-20  30 0 2
P-25  20 0 0
P-26  32 0 0
P-31  31 0 0
P-32  26 0 0
P-33  22 0 0
P-35  29 0 0
P-37  38 0 0
P-38       
P-40  30 0 0
P-43  32 0 0
P-47  10 0 0
P-48  34 0 0
P-50  22 0 0
P-51 31 0 0
P-52  14 0 0
P-53       
P-54       
P-55 23 0 0
P-56 36 0 0
P-61 16 0 0
P-62      
P-63 32 0 0
P-65  10 0 0
Total 1231 15 7

 

02 - Red. Direitos não tem acordo
Plataforma Favor Contra Abstenção
Cabiunas 89 9 14
Campos 68 0 0
Edinc 120 0 0
Imbetiba 90 0 0
Aero Campos 4 0 0
PT 140 0 0
PCE-1       
PGP-1       
PRA-1  14 0 0
PPM-1      
PPG-1       
PNA-1       
PNA-2  22 0 0
PCH-1  20 0 0
PCH-2  22 0 1
PCP 1/3  9 0 0
PCP 2  7 0 0
PVM-1 6 0 0
PVM-2       
PVM-3       
P-07       
P-08  26 0 0
P-09  20 0 0
P-12  11 0 0
P-15  13 0 0
P-18  28 0 0
P-19       
P-20  31 0 1
P-25  20 0 0
P-26  32 0 0
P-31  31 0 0
P-32  26 0 0
P-33  22 0 0
P-35  29 0 0
P-37  38 0 0
P-38       
P-40  30 0 0
P-43  32 0 0
P-47  10 0 0
P-48  34 0 0
P-50  22 0 0
P-51 31 0 0
P-52  14 0 0
P-53       
P-54       
P-55 23 0 0
P-56 36 0 0
P-61 16 0 0
P-62      
P-63 32 0 0
P-65  10 0 0
Total 1228 9 16

 

03 - Apr. Est.  Greve
Plataforma Favor Contra Abstenção
Cabiunas 87 18 7
Campos 68 0 0
Edinc 113 6 1
Aero Campos 4 0 0
Imbetiba 83 1 6
PT 140 0 0
PCE-1       
PGP-1       
PRA-1  14 0 0
PPM-1      
PPG-1       
PNA-1       
PNA-2  22 0 0
PCH-1  20 0 0
PCH-2  22 0 1
PCP 1/3  9 0 0
PCP 2  7 0 0
PVM-1 6 0 0
PVM-2       
PVM-3       
P-07       
P-08  25 0 1
P-09  20 0 0
P-12  10 1 0
P-15  13 0 0
P-18  28 0 0
P-19       
P-20  31 0 1
P-25  20 0 0
P-26  32 0 0
P-31  31 0 0
P-32  26 0 0
P-33  22 0 0
P-35  29 0 0
P-37  38 0 0
P-38       
P-40  30 0 0
P-43  32 0 0
P-47  10 0 0
P-48  34 0 0
P-50  22 0 0
P-51 25 5 1
P-52  14 0 0
P-53       
P-54       
P-55 22 0 1
P-56 36 0 0
P-61 16 0 0
P-62      
P-63 32 0 0
P-65  10 0 0
Total 1203 31 19

 

04 - Apr. Fim Interinidades
Plataforma Favor Contra Abstenção
Cabiunas 90 2 20
Campos 0 0 0
Edinc 112 1 7
Aero Campos 4 0 0
Imbetiba 78 0 12
PT 136 0 4
PCE-1       
PGP-1       
PRA-1  5 7 2
PPM-1      
PPG-1       
PNA-1       
PNA-2  22 0 0
PCH-1  20 0 0
PCH-2  21 0 2
PCP 1/3  9 0 0
PCP 2  7 0 0
PVM-1 4 1 1
PVM-2       
PVM-3       
P-07       
P-08  21 0 5
P-09  20 0 0
P-12  11 0 0
P-15  13 0 0
P-18  28 0 0
P-19       
P-20  22 0 10
P-25  20 0 0
P-26  25 1 6
P-31  31 0 0
P-32  26 0 0
P-33  22 0 0
P-35  29 0 0
P-37  38 0 0
P-38       
P-40  30 0 0
P-43  32 0 0
P-47  10 0 0
P-48  34 0 0
P-50  21 0 1
P-51 27 0 4
P-52  14 0 0
P-53       
P-54       
P-55 19 0 4
P-56 36 0 0
P-61 15 0 1
P-62      
P-63 32 0 0
P-65  9 0 1
Total 1093 12 80

 

 

 

 

Os petroleiros e petroleiras da plataforma P-20, na Bacia de Campos, enviaram manifesto ao Sindipetro-NF em que avaliam a Campanha Reivindicatória. Confira abaixo a íntegra do documento.

 

 

Da Assessoria do MAB - Na manhã desta segunda-feira (2), atingidos por barragens de todo Brasil, organizados no Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), denunciam o crime da Samarco, Vale e BHP Billiton em Mariana (MG), no escritório da mineradora Vale, na Rua Almirante Guilhem, 378- Leblon, Rio de Janeiro- RJ.

Desde o rompimento da barragem milhares de pessoas permanecem na incerteza do futuro. As famílias que perderam casas em Mariana e Barra Longa ainda não têm o terreno definitivo, onde os novos distritos, devastados pela lama, serão construídos. “Entre acordos, decisões judiciais, criação de empresas e programas, a sensação é estarmos sendo deixados de lado. Enquanto os grandes decidem nossa vida por nós, estamos sofrendo com os rastros da lama”, disse Simone Silva, atingida de Barra Longa.

A situação dos atingidos ao longo da Bacia do rio Doce é a mesma. A estimativa da população atingida soma-se mais de um milhão de atingidos, em Minas Gerais e no Espírito Santo, terão que conviver com água contaminada pela lama da Samarco. A incerteza é se a ingestão da água trará problemas futuros a populações que não tem outra escolha, se não, beber e plantar com água do rio.

“Estamos aqui hoje para denunciar que uma das maiores mineradoras do mundo. A Vale prega em anúncios publicitários o compromisso com prosperidade e sustentabilidade, mas na verdade é uma empresa criminosa, que mata rio e mata gente. Só quer obter o lucro mesmo que custe a destruição da vida de pessoas e da natureza”, afirma coordenação do Movimento dos Atingidos por Barragens.

Os atingidos ainda denunciam a ineficácia da (in) Justiça brasileira, que somente beneficia as empresas. Em março de 2016, após discordância sobre a competência judicial, a investigação criminal conduzida pela Polícia Civil foi suspensa, o que atrasou a apuração dos fatos.

Além da decisão da Justiça Federal de Ponte Nova (MG) que suspendeu, no início de agosto, o processo criminal contra 22 pessoas acusadas de serem responsáveis pelo rompimento da barragem de Fundão.

O MAB, organizado de Regência (ES) à Mariana, não deixará que a sociedade brasileira e internacional esqueça o maior crime ambiental do Brasil e da mineração Global que jogou 55 milhões m³ de rejeito de minério de ferro, matou 19 pessoas, provocou um aborto forçado, desalojou centenas de famílias, além de matar a biodiversidade de um dos maiores rios de Minas Gerais.

Encontro Nacional dos Atingidos por Barragens

O ato de denúncia a Vale faz parte das atividades do 8° Encontro Nacional do Movimento dos Atingidos por Barragens, que acontece até o dia 05 de outubro de 2017 e reúne cerca de 4 mil atingidos de todo o Brasil e representantes de 20 países, no Terreirão do Samba, na capital Carioca.

 

 

 

Nova parcial das assembleias no Norte Fluminense, que avaliam indicativos do Sindipetro-NF e da FUP para a Campanha Reivindicatória, mostra que aproximadamente mil trabalhadores e trabalhadoras já participaram dessa atividade sindical.

Quase a totalidade dos participantes votaram favoravelmente à rejeição da contraproposta da Petrobrás para o Acordo Coletivo e ao Estado de Greve, entre outros indicativos.

Plataformas enviam atas até às 12h de hoje. Também hoje acontecem as assembleias do Edinc (13h) e do Grupo B da base de Cabiúnas (23h).

Confira abaixo o resultado parcial:

 

1 - Rejeição Propost. 14-09-17
Plataforma Favor Contra Abstenção
Cabiunas 94 15 3
Campos 68 0 0
Edinc      
Imbetiba 90 0 0
Aero Campos 4 0 0
PT 139 0 1
PCE-1       
PGP-1       
PRA-1  14 0 0
PPM-1      
PPG-1       
PNA-1       
PNA-2       
PCH-1       
PCH-2  22 0 1
PCP 1/3  9 0 0
PCP 2  7 0 0
PVM-1 6 0 0
PVM-2       
PVM-3       
P-07       
P-08  26 0 0
P-09       
P-12       
P-15  13 0 0
P-18  28 0 0
P-19       
P-20  30 0 2
P-25       
P-26  32 0 0
P-31  31 0 0
P-32  26 0 0
P-33  22 0 0
P-35  29 0 0
P-37  38 0 0
P-38       
P-40  30 0 0
P-43  32 0 0
P-47  10 0 0
P-48  34 0 0
P-50  22 0 0
P-51 31 0 0
P-52  14 0 0
P-53       
P-54       
P-55 23 0 0
P-56 36 0 0
P-61 16 0 0
P-62      
P-63 32 0 0
P-65  10 0 0
Total 1018 15 7

 

 

02 - Red. Direitos não tem acordo
Plataforma Favor Contra Abstenção
Cabiunas 89 9 14
Campos 68 0 0
Edinc      
Imbetiba 90 0 0
Aero Campos 4 0 0
PT 140 0 0
PCE-1       
PGP-1       
PRA-1  14 0 0
PPM-1      
PPG-1       
PNA-1       
PNA-2       
PCH-1       
PCH-2  22 0 1
PCP 1/3  9 0 0
PCP 2  7 0 0
PVM-1 6 0 0
PVM-2       
PVM-3       
P-07       
P-08  26 0 0
P-09       
P-12       
P-15  13 0 0
P-18  28 0 0
P-19       
P-20  31 0 1
P-25       
P-26  32 0 0
P-31  31 0 0
P-32  26 0 0
P-33  22 0 0
P-35  29 0 0
P-37  38 0 0
P-38       
P-40  30 0 0
P-43  32 0 0
P-47  10 0 0
P-48  34 0 0
P-50  22 0 0
P-51 31 0 0
P-52  14 0 0
P-53       
P-54       
P-55 23 0 0
P-56 36 0 0
P-61 16 0 0
P-62      
P-63 32 0 0
P-65  10 0 0
Total 1015 9 16

 

03 - Apr. Est.  Greve
Plataforma Favor Contra Abstenção
Cabiunas 87 18 7
Campos 68 0 0
Edinc      
Aero Campos 4 0 0
Imbetiba 83 1 6
PT 140 0 0
PCE-1       
PGP-1       
PRA-1  14 0 0
PPM-1      
PPG-1       
PNA-1       
PNA-2       
PCH-1       
PCH-2  22 0 1
PCP 1/3  9 0 0
PCP 2  7 0 0
PVM-1 6 0 0
PVM-2       
PVM-3       
P-07       
P-08  25 0 1
P-09       
P-12       
P-15  13 0 0
P-18  28 0 0
P-19       
P-20  31 0 1
P-25       
P-26  32 0 0
P-31  31 0 0
P-32  26 0 0
P-33  22 0 0
P-35  29 0 0
P-37  38 0 0
P-38       
P-40  30 0 0
P-43  32 0 0
P-47  10 0 0
P-48  34 0 0
P-50  22 0 0
P-51 25 5 1
P-52  14 0 0
P-53       
P-54       
P-55 22 0 1
P-56 36 0 0
P-61 16 0 0
P-62      
P-63 32 0 0
P-65  10 0 0
Total 998 24 18

 

04 - Apr. Fim Interinidades
Plataforma Favor Contra Abstenção
Cabiunas 90 2 20
Campos 0 0 0
Edinc      
Aero Campos 4 0 0
Imbetiba 78 0 12
PT 136 0 4
PCE-1       
PGP-1       
PRA-1  5 7 2
PPM-1      
PPG-1       
PNA-1       
PNA-2       
PCH-1       
PCH-2  21 0 2
PCP 1/3  9 0 0
PCP 2  7 0 0
PVM-1 4 1 1
PVM-2       
PVM-3       
P-07       
P-08  21 0 5
P-09       
P-12       
P-15  13 0 0
P-18  28 0 0
P-19       
P-20  22 0 10
P-25       
P-26  25 1 6
P-31  31 0 0
P-32  26 0 0
P-33  22 0 0
P-35  29 0 0
P-37  38 0 0
P-38       
P-40  30 0 0
P-43  32 0 0
P-47  10 0 0
P-48  34 0 0
P-50  21 0 1
P-51 27 0 4
P-52  14 0 0
P-53       
P-54       
P-55 19 0 4
P-56 36 0 0
P-61 15 0 1
P-62      
P-63 32 0 0
P-65  9 0 1
Total 888 11 73

 

 

 

 

 

 

 

Da Imprensa da FUP - A proposta da Petrobrás, apresentada no dia 14 de setembro, está sendo rejeitada pelos petroleiros e petroleiras de todo país. A categoria está reafirmando a posição de que “com redução de direitos, não tem acordo”, a maioria dos trabalhadores também está aprovando o estado de greve, assembleia permanente e o Seminário de Qualificação de Greve.

A corda está fraca para o lado do Parente. Em muitas bases, as votações contra a proposta foram unânimes. Apenas alguns poucos envergonhados levantaram a mão em apoio à retirada de direitos.

A tentativa de desmonte do ACT não é por questões financeiras e sim ideológicas. Não há qualquer justificativa econômica para a empresa afrontar os petroleiros com uma proposta que extingue direitos. Os indicadores e resultados financeiros comprovam que a Petrobrás continua sendo rentável e tem condições de voltar a ser a empresa integrada de energia, que gerava renda e emprego para o país.

O esquartejamento do Acordo Coletivo dos petroleiros está diretamente associado ao projeto político e econômico que vem sendo imposto aos trabalhadores brasileiros nesta conjuntura de golpe. Para a FUP e seus sindicatos, não há justificativa econômica para uma proposta que extingue direitos e reduz em mais de um terço o ACT da categoria.

A Petrobrás propõe o fim do auxílio-almoço, da Gratificação de Campo Terrestre, do Benefício Farmácia, do Programa Jovem Universitário, da promoção por antiguidade de Pleno para Sênior em cargos de Nível Médio, e redução das remunerações da hora extra, dobradinha, troca de turno, gratificação de férias, entre outros.

Em Duque de Caxias, Espírito Santo, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Rio Grande do Norte as assembleias se encerraram nesta sexta-feira (29). Em ambos, a proposta foi rejeitada e aprovado o indicativo da Federação. Também já realizaram assembleia as Fafen Paraná e Bahia. As assembleias seguem por todo o país até esta segunda-feira (02).

 

Atualizado às 19:50

Acompanhando os resultados obtidos nas demais bases do NF, as Plataformas da Bacia de Campos seguem aprovando com mais de 90% os indicativos do SindipetroNF e da FUP que, entre outros itens, tanto rejeitam a péssima contra proposta da empresa e quanto reafirmam o compromisso da categoria com a luta por nenhuma perda de direitos.

As assembleias seguem até a segunda, 02, portanto ainda mais plataformas devem apreciar os indicativos do sindicato e da federação (modelo da ata em anexo).

Indicativos

1 - Rejeição da proposta apresentada pela Petrobras, Subsidiárias e Araucária Nitrogenados no dia 14 de setembro.
2 - Com redução de direitos não tem acordo.
3 - Aprovar estado de greve.
4 - Aprovação do fim das interinidades.
Orientação para as plataformas: enviar dois nomes para o Seminário de greve que será nos dias 09/10 e 10/10.

Confira a parcial:

 

1 - Rejeição Propost. 14-09
Base Favor Contra Abstenção
Cabiunas 80 15 3
Campos 68 0 0
Edinc      
Imbetiba 90 0 0
Aero Campos 4 0 0
PT 139 0 1
PCE-1       
PGP-1       
PRA-1       
PPM-1      
PPG-1       
PNA-1       
PNA-2   22  0  0
PCH-1   20  0  0
PCH-2   22  0  1
PCP 1/3   9
PCP 2       
PVM-1  6  0
PVM-2       
PVM-3       
P-07       
P-08  26 
P-09       
P-12       
P-15   13  0  0
P-18  28 0 0
P-19       
P-20   30  0
P-25   20
P-26  32 
P-31  31 0 0
P-32  26 0 0
P-33  22 0 0
P-35  29 0 0
P-37       
P-38       
P-40   30
P-43       
P-47   10  0  0
P-48       
P-50       
P-51      
P-52       
P-53       
P-54       
P-55  23  0  0
P-56  36  0  0
P-61  16 0
P-62  24 0  0
P-63 32 0 0
P-65   10
Total 889 15 7

 

02 - Red. Direitos não tem acordo
Base Favor Contra Abstenção
Cabiunas 75 9 14
Campos 68 0 0
Edinc      
Imbetiba 90 0 0
Aero Campos 4 0 0
PT 140 0 0
PCE-1       
PGP-1       
PRA-1       
PPM-1      
PPG-1       
PNA-1       
PNA-2   22  0  0
PCH-1   20  0  0
PCH-2   22  0  1
PCP 1/3   9
PCP 2       
PVM-1  6  0  0
PVM-2       
PVM-3       
P-07       
P-08   26  0  0
P-09       
P-12       
P-15   13  0  0
P-18  28 0 0
P-19       
P-20   31
P-25   20
P-26   32 0
P-31  31 0 0
P-32  26 0 0
P-33  22 0 0
P-35  29 0 0
P-37       
P-38       
P-40   30
P-43       
P-47   10  0  0
P-48       
P-50       
P-51      
P-52       
P-53       
P-54       
P-55  23  0  0
P-56  36  0  0
P-61  16  0
P-62  24  0  0
P-63 32 0 0
P-65   10  0  0
Total 895 9 16

 

 

03 - Apr. Est.  Greve
Plataforma Favor Contra Abstenção
Cabiunas 75 17 6
Campos 68 0 0
Edinc      
Aero Campos 4 0 0
Imbetiba 83 1 6
PT 140 0 0
PCE-1       
PGP-1       
PRA-1       
PPM-1      
PPG-1       
PNA-1       
PNA-2   22  0  0
PCH-1   20  0  0
PCH-2   22  0  1
PCP 1/3   9
PCP 2       
PVM-1  6  0  0
PVM-2       
PVM-3       
P-07       
P-08   25  0  1
P-09       
P-12       
P-15   13  0  0
P-18  28 0 0
P-19       
P-20   31  0
P-25  20 
P-26   32
P-31  31 0 0
P-32  26 0 0
P-33  22 0 0
P-35  29 0 0
P-37       
P-38       
P-40  30  0
P-43       
P-47  10   0  0
P-48       
P-50       
P-51      
P-52       
P-53       
P-54       
P-55  22  0  1
P-56  36  0  0
P-61  16  0 
P-62  23  0  1
P-63 32 0 0
P-65   10  0  0
Total 885 18 17

 

04 - Apr. Fim Interinidades
Base Favor Contra Abstenção
Cabiunas 83 2 13
Campos 0 0 0
Edinc      
Aero Campos 4 0 0
Imbetiba 78 0 12
PT 136 0 4
PCE-1       
PGP-1       
PRA-1       
PPM-1      
PPG-1       
PNA-1       
PNA-2   22  0  0
PCH-1   20  0  0
PCH-2   21  0  2
PCP 1/3 
PCP 2       
PVM-1  4  1  1
PVM-2       
PVM-3       
P-07       
P-08   21  0  5
P-09       
P-12       
P-15   13  0  0
P-18  28 0 0
P-19       
P-20   22 10 
P-25   20  0
P-26   25  1
P-31  31 0 0
P-32  26 0 0
P-33  22 0 0
P-35  29 0 0
P-37       
P-38       
P-40  30 
P-43       
P-47   10  0  0
P-48       
P-50       
P-51      
P-52       
P-53       
P-54       
P-55  19  0  4
P-56  36  0  0
P-61  15  0  1
P-62  18  0  6
P-63 32 0 0
P-65   9  0  1
Total 774 4 65

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Um grupo de 36 senadores protocolou um projeto de referendo para revogar os leilões de usinas hidrelétricas e de blocos para exploração de petróleo promovidos na quarta-feira (27) por Michel Temer (PMDB).

O anúncio do projeto de referendo foi feito pelo senador Roberto Requião (PMDB-PR), presidente da Frente Ampla de Defesa da Soberania Nacional.

“Com 36 senadores protocolamos projeto de referendo revogatório para medidas antinacionais no setor elétrico, do petróleo e da Amazônia”, anunciou o peemedebista.

Para o senador Requião, a venda da Eletrobras e da Cemig significa “um crime de lesa pátria anunciado”.

Temer afirmou que as privatizações de ontem renderam R$ 15,8 bi à União, mas, segundo a Frente Ampla, foi um negócio e tanto para quem comprou e um péssimo negócio para quem vendeu.

“O valor arrecadado com a privatização das usinas da Cemig, R$ 12,12 bilhões, representa apenas 65,5% do lucro da empresa nos últimos sete anos e meio (R$ 18,5 bi)”, disse o deputado Rogério Correia (PT-MG), coordenador da Frente Mineira em Defesa da Cemig.

Abaixo, leia o manifesto da Frente Mineira em Defesa da Cemig:

TEMER ENTREGA CEMIG AOS ESTRANGEIROS

1) O valor arrecadado com a privatização das usinas da Cemig, R$ 12,12 bilhões, representa apenas 65,5% do lucro da empresa nos últimos sete anos e meio (R$ 18,5 bi). Um negócio e tanto para quem comprou. Um péssimo negócio para quem vendeu.

2) O lucro da Cemig precisa ser analisado como o de uma empresa pública. Ou seja, pensado estrategicamente, visando ao bem do país. Com investimento em tecnologia, pesquisa, criando uma cultura favorável ao desenvolvimento do estado e do país. Entregar setores estratégicos, como a energia e a água, para a iniciativa privada, é abrir mão dessa lógica. Com perigos reais para o futuro. O caso Samarco não nos deixa mentir.

3) Na propaganda contra a Cemig que executaram nos últimos meses, o governo Temer e os defensores da privatização jogaram contra o patrimônio. Ou seja, jogaram para baixo a expectativa dos possíveis compradores — obviamente, reduziram assim o valor gasto por eles pelas usinas.

4) Chineses, italianos e franceses são donos agora de metade do parque gerador de energia mineiro. Ironicamente, nenhum desses países (China, Itália ou França) abre mão da presença do Estado nos setores estratégicos — o que inclui, claro, o setor de energia e água.

5) Corroborando o tópico anterior, a italiana Enel, que arrematou a hidrelétrica de Volta Grande (por apenas R$ 1,38 bi) é estatal. Na França, o governo do privatista Macron enfrenta dificuldades para vender apenas 4,5% da estatal Engie, a empresa que pagou R$ 1,38 bi para levar a usina de Miranda. A China, como se sabe, não abre mão do Estado em seus setores estratégicos e, por isso mesmo, avança com fome sobre empresas de energia ou petróleo vendidas pelos governos entreguistas mundo afora (é o caso, como se sabe, do governo Temer).

6) Não há porque duvidar que o consumidor pagará o pato da privatização das usinas. O modelo de precificação das contas de luz adotado no país contava com uma vantagem para o consumidor: as usinas já estavam contabilizadas como pagas. Isso acaba após o leilão feito por Temer. As empresas compradoras das usinas vão querer recuperar o dinheiro investido. Quem vai pagar? Temer? Aécio? Anastasia? Claro que será o consumidor mineiro.

7) A perda de metade de seu parque de geração é um duro golpe sobre a Cemig. Mas poderia ser evitado, caso o governador Anastasia tivesse aderido à MP 579, de 2012, da então presidenta Dilma. A MP renovava antecipadamente a concessão das usinas pelo governo federal aos estaduais. Prova disso é que, além de Minas, apenas o Paraná e São Paulo convivem com esse problema — justamente os estados governados na época pelo PSDB. E que, chefiados pelo seu presidente Aécio Neves, marcaram posição pelo ‘quanto pior, melhor’, e não aderiram à MP.

8) A razão sempre usada pelo governo Temer é o déficit público. Isso é um escárnio com o povo brasileiro. O dinheiro arrecadado na venda do patrimônio mineiro cobre menos de meio mês de déficit nas contas públicas federais. Na prática, portanto, a privatização da Cemig está sendo trocada por um punhado de dinheiro que em menos de 15 dias já estará no ralo do déficit orçamentário.

9) Mais uma vez, o governo golpista de Aécio e PSDB virou as costas para os mineiros. A Frente Mineira em Defesa da Cemig, por mim coordenada, conseguiu uma inusitada e bem-vinda convergência de ideias: contra a privatização das usinas da maior empresa de Minas uniram-se representantes dos trabalhadores, dos empresários, do mundo jurídico, da Academia. Realizamos atos nas usinas, nas ruas, debates em diversos ambientes, entramos com ações no campo jurídico… O governador Fernando Pimentel, com a autoridade de eleito em primeiro turno pelos mineiros, foi parceiro nessa luta contra a venda das usinas. Mas, fiel ao golpe, o governo de Temer ignorarou por completo esse clamor mineiro.

10) Nossa luta contra a privatização da Cemig não acabou. Estamos convocando para esta segunda-feira uma reunião de emergência da Frente Mineira em Defesa da Cemig. Também estou requerendo, em caráter de urgência, uma audiência pública na Comissão de Minas e Energia da Assembleia. São apenas duas ações imediatas, entre várias outras que tomaremos e apoiaremos, nos próximos dias.

Sempre na luta!

Rogério Correia,
coordenador da Frente Mineira em Defesa da Cemig

Uma nova parcial acaba de sair com os resultados das assembleias na região incluindo Parque de Tubos. Os petroleiros e petroleiras do Norte Fluminense estão aprovando os indicativos da FUP e do Sindipetro-NF para a Campanha Reivindicatória, que inclui a rejeição da proposta da Petrobrás para o Acordo Coletivo de Trabalho e a aprovação do Estado de Greve.

As assembleias seguem até a segunda, 02. Confira a parcial:

 

1 - Rejeição Propost. 14-09
Plataforma Favor Contra Abstenção
Cabiunas 80 15 3
Campos 68 0 0
Edinc      
Imbetiba 90 0 0
Aero Campos 4 0 0
PT 139 0 1
PCE-1       
PGP-1       
PRA-1       
PPM-1      
PPG-1       
PNA-1       
PNA-2       
PCH-1       
PCH-2       
PCP 1/3       
PCP 2       
PVM-1      
PVM-2       
PVM-3       
P-07       
P-08       
P-09       
P-12       
P-15       
P-18  28 0 0
P-19       
P-20       
P-25       
P-26       
P-31  31 0 0
P-32  26 0 0
P-33  22 0 0
P-35  29 0 0
P-37       
P-38       
P-40       
P-43       
P-47       
P-48       
P-50       
P-51      
P-52       
P-53       
P-54       
P-55      
P-56      
P-61      
P-62      
P-63 32 0 0
P-65       
Total 549 15 4
       
Quant. Plat. 6    
Plat. Restante 39    

 

02 - Red. Direitos não tem acordo
Plataforma Favor Contra Abstenção
Cabiunas 75 9 14
Campos 68 0 0
Edinc      
Imbetiba 90 0 0
Aero Campos 4 0 0
PT 140 0 0
PCE-1       
PGP-1       
PRA-1       
PPM-1      
PPG-1       
PNA-1       
PNA-2       
PCH-1       
PCH-2       
PCP 1/3       
PCP 2       
PVM-1      
PVM-2       
PVM-3       
P-07       
P-08       
P-09       
P-12       
P-15       
P-18  28 0 0
P-19       
P-20       
P-25       
P-26       
P-31  31 0 0
P-32  26 0 0
P-33  22 0 0
P-35  29 0 0
P-37       
P-38       
P-40       
P-43       
P-47       
P-48       
P-50       
P-51      
P-52       
P-53       
P-54       
P-55      
P-56      
P-61      
P-62      
P-63 32 0 0
P-65       
Total 545 9 14
       
Quant. Plat. 6    
Plat. Restante 39    

 

03 - Apr. Est.  Greve
Plataforma Favor Contra Abstenção
Cabiunas 75 17 6
Campos 68 0 0
Edinc      
Aero Campos 4 0 0
Imbetiba 83 1 6
PT 140 0 0
PCE-1       
PGP-1       
PRA-1       
PPM-1      
PPG-1       
PNA-1       
PNA-2       
PCH-1       
PCH-2       
PCP 1/3       
PCP 2       
PVM-1      
PVM-2       
PVM-3       
P-07       
P-08       
P-09       
P-12       
P-15       
P-18  28 0 0
P-19       
P-20       
P-25       
P-26       
P-31  31 0 0
P-32  26 0 0
P-33  22 0 0
P-35  29 0 0
P-37       
P-38       
P-40       
P-43       
P-47       
P-48       
P-50       
P-51      
P-52       
P-53       
P-54       
P-55      
P-56      
P-61      
P-62      
P-63 32 0 0
P-65       
Total 538 18 12
       
Quant. Plat. 6    
Plat. Restante 39    

 

04 - Apr. Fim Interinidades
Plataforma Favor Contra Abstenção
Cabiunas 83 2 13
Campos 0 0 0
Edinc      
Aero Campos 4 0 0
Imbetiba 78 0 12
PT 136 0 4
PCE-1       
PGP-1       
PRA-1       
PPM-1      
PPG-1       
PNA-1       
PNA-2       
PCH-1       
PCH-2       
PCP 1/3       
PCP 2       
PVM-1      
PVM-2       
PVM-3       
P-07       
P-08       
P-09       
P-12       
P-15       
P-18  28 0 0
P-19       
P-20       
P-25       
P-26       
P-31  31 0 0
P-32  26 0 0
P-33  22 0 0
P-35  29 0 0
P-37       
P-38       
P-40       
P-43       
P-47       
P-48       
P-50       
P-51      
P-52       
P-53       
P-54       
P-55      
P-56      
P-61      
P-62      
P-63 32 0 0
P-65       
Total 469 2 29
       
Quant. Plat. 6    
Plat. Restante 39    

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Nova parcial com os resultados das assembleias na região mostra que os petroleiros e petroleiras do Norte Fluminense estão aprovando os indicativos da FUP e do Sindipetro-NF para a Campanha Reivindicatória. Entre eles estão a rejeição da proposta da Petrobrás para o Acordo Coletivo de Trabalho e a aprovação do Estado de Greve.

Até às 10h de hoje foram realizadas assembleias em alguns dos grupos de Cabiúnas, na delegacia sindical de Campos dos Goytacazes, em Imbetiba (Praia Campista), no aeroporto de Campos e em seis plataformas.

As assembleias seguem até a segunda, 02. Confira a parcial:

 

1 - Rejeição Propost. 14-09-17
Plataforma Favor Contra Abstenção
Cabiunas 80 15 3
Campos 68 0 0
Edinc      
Imbetiba 90 0 0
Aero Campos 4 0 0
PT      
PCE-1       
PGP-1       
PRA-1       
PPM-1      
PPG-1       
PNA-1       
PNA-2       
PCH-1       
PCH-2       
PCP 1/3       
PCP 2       
PVM-1      
PVM-2       
PVM-3       
P-07       
P-08       
P-09       
P-12       
P-15       
P-18  28 0 0
P-19       
P-20       
P-25       
P-26       
P-31  31 0 0
P-32  26 0 0
P-33  22 0 0
P-35  29 0 0
P-37       
P-38       
P-40       
P-43       
P-47       
P-48       
P-50       
P-51      
P-52       
P-53       
P-54       
P-55      
P-56      
P-61      
P-62      
P-63 32 0 0
P-65       
Total 410 15 3

 

02 - Ret. Direitos não tem acordo
Plataforma Favor Contra Abstenção
Cabiunas 75 9 14
Campos 68 0 0
Edinc      
Imbetiba 90 0 0
Aero Campos 4 0 0
PT      
PCE-1       
PGP-1       
PRA-1       
PPM-1      
PPG-1       
PNA-1       
PNA-2       
PCH-1       
PCH-2       
PCP 1/3       
PCP 2       
PVM-1      
PVM-2       
PVM-3       
P-07       
P-08       
P-09       
P-12       
P-15       
P-18  28 0 0
P-19       
P-20       
P-25       
P-26       
P-31  31 0 0
P-32  26 0 0
P-33  22 0 0
P-35  29 0 0
P-37       
P-38       
P-40       
P-43       
P-47       
P-48       
P-50       
P-51      
P-52       
P-53       
P-54       
P-55      
P-56      
P-61      
P-62      
P-63 32 0 0
P-65       
Total 405 9 14

 

03 - Apr. Est.  Greve
Plataforma Favor Contra Abstenção
Cabiunas 75 17 6
Campos 68 0 0
Edinc      
Aero Campos 4 0 0
Imbetiba 83 1 6
PT      
PCE-1       
PGP-1       
PRA-1       
PPM-1      
PPG-1       
PNA-1       
PNA-2       
PCH-1       
PCH-2       
PCP 1/3       
PCP 2       
PVM-1      
PVM-2       
PVM-3       
P-07       
P-08       
P-09       
P-12       
P-15       
P-18  28 0 0
P-19       
P-20       
P-25       
P-26       
P-31  31 0 0
P-32  26 0 0
P-33  22 0 0
P-35  29 0 0
P-37       
P-38       
P-40       
P-43       
P-47       
P-48       
P-50       
P-51      
P-52       
P-53       
P-54       
P-55      
P-56      
P-61      
P-62      
P-63 32 0 0
P-65       
Total 398 18 12

 

04 - Apr. Fim Interinidades
Plataforma Favor Contra Abstenção
Cabiunas 83 2 13
Campos 0 0 0
Edinc      
Aero Campos 4 0 0
Imbetiba 78 0 12
PT      
PCE-1       
PGP-1       
PRA-1       
PPM-1      
PPG-1       
PNA-1       
PNA-2       
PCH-1       
PCH-2       
PCP 1/3       
PCP 2       
PVM-1      
PVM-2       
PVM-3       
P-07       
P-08       
P-09       
P-12       
P-15       
P-18  28 0 0
P-19       
P-20       
P-25       
P-26       
P-31  31 0 0
P-32  26 0 0
P-33  22 0 0
P-35  29 0 0
P-37       
P-38       
P-40       
P-43       
P-47       
P-48       
P-50       
P-51      
P-52       
P-53       
P-54       
P-55      
P-56      
P-61      
P-62      
P-63 32 0 0
P-65       
Total 333 2 25

 

 

 

 

 

 

 

 

A categoria petroleira na região está em período de assembleias, até a próxima segunda, 02, para avaliar indicativos do Sindipetro-NF para a Campanha Reivindicatória, entre eles a rejeição da proposta de Acordo Coletivo feita pela Petrobrás e aprovação do Estado de Greve.

Nesta manhã foi realizada assembleia com os trabalhadores e trabalhadoras do Grupo D e do Administrativo da base de Cabiúnas. O terminal também tem assembleia hoje com o Grupo A, às 23h. Outra base que tem assembleia hoje é o Parque de Tubos, às 13h.

Plataformas seguem com assembleias até o domingo, 01, com retorno de atas até às 12h da segunda, 02. Para estas unidades há, além dos indicativos, a orientação para que sejam enviados dois nomes para o Seminário de greve que será nos dias 09/10 e 10/10, e preenchido formulário de SMS.

Os indicativos são de Rejeição da proposta apresentada pela Petrobras, Subsidiárias e Araucária Nitrogenados no dia 14 de setembro; Com redução de direitos não tem acordo; Aprovar estado de greve; e Aprovação do fim das interinidades.

Confira abaixo o calendário completo das assembleias:

Base / Data / Horário

Del. Campos / Quarta, 27 / 10h

P. Campista / Quinta, 28 / 13h

P. Tubos / Sexta, 29 / 13h

Edinc / Segunda, 02 / 13h

Cabiúnas
Grupo E / Quarta, 27 / 23h
Grupo C / Quinta, 28 / 15h
Adm e Grupo D / Sexta, 29 / 7h
Grupo A / Sexta, 29 / 23h
Grupo B / Segunda, 02 / 23h

Plataformas: 27 de setembro a 01 de outubro, com retorno das atas até às 12h de 02 de outubro.

Indicativos

1 - Rejeição da proposta apresentada pela Petrobras, Subsidiárias e Araucária Nitrogenados no dia 14 de setembro.
2 - Com redução de direitos não tem acordo.
3 - Aprovar estado de greve.
4 - Aprovação do fim das interinidades.
Orientação para as plataformas: enviar dois nomes para o Seminário de greve que será nos dias 09/10 e 10/10.

 

Da Imprensa do Sindipetro-MG - Sob a alegação de sustentabilidade da empresa, a Petrobrás apresentou em reunião no último dia 14 uma proposta de Acordo Coletivo de Trabalho que retira inúmeros direitos dos petroleiros.

Entre eles estão a redução do valor das horas extras, redução de jornada com redução de salário, diminuição da gratificação de férias para 1/3 com complemento de 2/3 em abono, e fim do auxílio almoço, do Benefício Farmácia, do Programa Jovem Universitário e de outros benefícios, além da Precarização da AMS e aumento do custo para o participante na modalidade de grande risco.

No entanto, o Grupo de Estudos Estratégicos e Propostas (GEEP) da FUP apontou, por meio de dados fornecidos pela própria empresa, que o argumento para tamanho ataque aos direitos dos trabalhadores não se justifica. 

Números apresentados pelo Grupo mostram que, mesmo com a diminuição intencional da produção das refinarias para privilegiar empresas estrangeiras, a Petrobrás tem apresentado um bom resultado ao longo deste ano, com geração constante de caixa.

Dados divulgados pela empresa apontam que o Ebitda (indicador que contabiliza o lucro da Petrobrás antes da incidência de juros, impostos, amortizações e depreciações) do primeiro semestre de 2017 foi de US$ 13 bilhões, mantendo a tendência de R$ 26 bilhões para o ano.

Isso revela que não houve queda na geração de caixa da estatal nos últimos anos, o que comprova que o argumento de necessidade de redução de custos não passa de uma farsa da empresa para tentar justificar mais esse ataque aos petroleiros.

Além disso, a empresa já reduziu seu custo ao cortar drasticamente seu quadro de pessoal com os dois últimos PIDV's. Ao todo, mais de 15 mil trabalhadores deixaram a Petrobrás entre janeiro de 2014 e junho deste ano, elevando consideravelmente os índices de acidentes nas unidades da empresa, especialmente nas refinarias.

E, não bastasse o corte de 15 mil petroleiros, essa parcela da força de trabalho que deixou a empresa nos últimos dois anos corresponde também à maior massa salarial da Petrobrás. Ou seja, o custo com pessoal caiu consideravelmente pois os trabalhadores mais experientes e, consequentemente com salários maiores, foram os que mais aderiram aos dois últimos PIDV’s.

Só para se ter uma ideia, em 2012, os petroleiros com mais de 20 anos de empresa correspondiam a 41,2% do total de trabalhadores, enquanto em 2016 eles somam apenas 27,7% - o que também explica o aumento dos acidentes e da insegurança.

 

Pagina 5 de 719

Sede MacaéMacaé

Rua Tenente Rui Lopes Ribeiro, 257 Centro - CEP 27910-330 Telefone: (22) 2765-9550

Sede CamposCampos

Av. 28 de Março, 485 Centro - CEP 28.020-740 Telefone: (22) 2737-4700